O melhor dos dois mundos: Apresentando o HubSpot para o CoSchedule

O melhor dos dois mundos: Apresentando o HubSpot para o CoSchedule


Lembre-se porque você comprou o HubSpot?

Quão animado você estava por ter uma ferramenta de marketing "tudo em um"?

… para finalmente organizar o seu sh * t (e avançar os projetos)?

Apenas para encontrar enquanto você pode fazer muito no HubSpot…

Planejando sua programação de marketing …

Colaborando em projetos …

E manter alguma aparência de sanidade sobre o que está acontecendo hoje, amanhã e no próximo mês …

não é exatamente o forte deles.

Apenas para ser deixado de gerenciar cronogramas, colaboração, tarefas e táticas de saída em planilhas, trabalho em equipe, Basecamp, Airtable, e-mail e outros misc. Ferramentas.

Se ao menos houvesse um jeito melhor. 😏

Digite a solução perfeita: * NEW * HubSpot Integration do CoSchedule.

Com a nova integração, você poderá:

  • Visualize sua estratégia de marketing INTEIRA em um calendário dinâmico. Marketing é mais do que apenas inbound. Adicionar cada ativo projeto de marketing e campanha no CoSchedule, para que você possa garantir que as prioridades de sua equipe estejam focadas em atingir as metas da empresa.
  • Melhore a produtividade + simplifique seu processo de marketing. Dê à sua equipe acesso a tudo o que eles precisam para trabalhar. Inclusão de listas de tarefas, cronogramas de projetos, arquivos e até mesmo acesso direto aos e-mails e páginas de aterrissagem da HubSpot.
  • Mantenha a conversa relevante + conectada a todos os projetos. Colabore em projetos em tempo real. Compartilhe feedback, atualizações de status e muito mais em discussões para que sua equipe permaneça na mesma página.
  • Atualize sua estratégia social com melhores ferramentas de publicação. O agendamento social do CoSchedule permite que você promova suas principais páginas de destino e blogs em segundos e crie campanhas inteiras em apenas alguns cliques.

É o melhor dos dois mundos! Una os recursos Hubspot que você adora com as ferramentas de gerenciamento de projetos + o calendário de marketing que você sempre sonhou. 😍

[Tweet “The Best Of Both Worlds: Introducing @HubSpot for @CoSchedule”]

Visualize sua estratégia de marketing INTEIRA em um calendário dinâmico.

Marketing é mais do que apenas suas estratégias de entrada.

Com o CoSchedule, você pode mapear todos os seus projetos e campanhas de marketing – incluindo projetos da HubSpot – para que você possa visualizar sua estratégia de marketing INTEIRA em um único calendário.

O calendário oferece visibilidade de como seu conteúdo + campanhas interagem e se sobrepõem.

Então, quando você tiver muitos rascunhos de e-mail no calendário da próxima semana, poderá arrastá-los e soltá-los em outra data antes de agendá-los para criar uma cadência de mensagens mais estratégica sem perder o ritmo. 👍

Esta flexibilidade mais visibilidade permite que sua equipe fique super ágil. Fazendo com que seja fácil adaptar-se quando novos projetos entram em ação, ocorrem simulações de incêndio, mudanças de prioridades e metas de marketing.

Melhore a produtividade + simplifique seu processo de marketing.

Sem os processos corretos, sua equipe pode basicamente dizer adeus à produtividade.

via GIPHY

Mas quando o HubSpot e o CoSchedule trabalham juntos – sua equipe trabalha mais rápido e elimina os obstáculos desnecessários.

Atribuir tarefas a todos os projetos no roteiro da sua equipe. Você pode até adicionar as aprovações necessárias para garantir que os projetos sejam concluídos E revisados ​​antes de serem publicados.

Visualize rapidamente se os projetos estão em andamento usando a barra de progresso. Isso dá a você um pulso ativo sobre como a equipe está tendendo para cumprir seus prazos.

Use anexos de projetos para fazer upload de arquivos, documentos do Google e outros recursos de que sua equipe precisa para realizar seus projetos. Você pode parar de vasculhar emails, Dropbox ou pastas de arquivos para encontrar os rascunhos e modelos mais recentes. Agora você pode acessá-lo bem dentro do projeto.

E implementando a integração do HubSpot dentro do CoSchedule, sua equipe terá acesso direto às suas páginas de destino, e-mails e blogs da HubSpot com apenas um clique.

Ao simplificar seu processo de marketing, você pode fazer mais em menos tempo! Porque quando o tempo = dinheiro, isso é um ganho para todos.

Mantenha a conversa relevante + conectada a todos os projetos.

86% dos funcionários e executivos citar a falta de colaboração ou comunicação ineficaz para falhas no local de trabalho.

No entanto, sua equipe ainda compartilha atualizações de projetos e feedback via e-mails, mensagens instantâneas, documentos do Google e conversas rápidas e rápidas.

Deixando a colaboração e a conversa em silos em lugares diferentes (e não acessíveis a todos que precisam saber as últimas informações).

A solução? Discussões no CoSchedule.

As discussões ajudam sua equipe a compartilhar feedback, atualizações de status e notas sobre projetos em tempo real. PLUS – qualquer um pode entrar em um projeto e ver exatamente de onde parou.

O que significa que, se alguém está de férias, doente ou os projetos precisam ser transferidos, outro membro da equipe pode facilmente buscá-lo e executá-lo.

Atualize sua estratégia social com melhores ferramentas de publicação.

Claro, a HubSpot tem publicação social…

Mas mudar para o CoSchedule for social pode dar à sua estratégia uma grande atualização.

Entrando manualmente mensagens sociais… .um de cada vez … para promover sua postagem no blog…

É entorpecedor. Especialmente quando eles seguem a mesma cadência todas as vezes.

Com o CoSchedule, você pode criar planos de promoção social predefinidos e robustos para suas páginas de destino e blogs.

Em seguida, aplique-os a qualquer novo post em apenas alguns cliques usando modelos sociais.

O melhor de tudo é que você pode redigir o conteúdo de suas mensagens com rapidez também! Use os assistentes sociais para preencher automaticamente suas postagens em sua campanha com conteúdo padrão ou personalizado.

Preencher sua fila social nunca foi tão fácil!

É óbvio que a integração HubSpot do CoSchedule pode transformar a maneira como sua equipe trabalha.

Você vai melhorar a eficiência + produtividade …

… ganhe visibilidade total sobre toda a sua estratégia …

… faça os projetos serem concluídos mais rapidamente com menos bloqueios …

E elimine ferramentas desnecessárias de colaboração e gerenciamento de projetos de sua pilha de marketing.

O que você está esperando?

Inicie o seu teste gratuito

[Tweet “The Best Of Both Worlds: Introducing @HubSpot for @CoSchedule”]

O post O Melhor dos Dois Mundos: A introdução do HubSpot for CoSchedule apareceu primeiro no CoSchedule Blog.




Posts que valem a leitura:

Free Stock Photos de Pexels, Pixabay … Por que eu não uso estes!

Ganhar Dinheiro na Internet

Nós amamos esta nova lei de Wisconsin destinada a tornar as crianças mais inteligentes sobre o dinheiro

Cinegrafista Atualizado

LIC AAO – Perspectivas Futuras e Crescimento de Carreira – Syllabus, Salário, Exame

Estatísticas de futebol em c# com descanso e JSON

Conheça LanceTalent: plataforma de trabalho entre freelancers e Startups

Como fazer as coisas com uma equipe remota

O anônimo: Não deixe uma pegada digital por 30 dias [LIFESTYLE X]


Uma cartilha para melhorar a legibilidade do seu conteúdo

Uma cartilha para melhorar a legibilidade do seu conteúdo


Nosso conteúdo era muito acadêmico e não ressoou com nosso público. Quando nos concentramos em torná-lo mais legível para nosso público, os negócios cresceram. E se você? Sua marca está deliberadamente centrada na legibilidade?

Na sua forma mais pura, a legibilidade é manter as coisas simples. É sobre explicar as coisas em termos tão simples quanto possível. Os profissionais de marketing de conteúdo oferecem muitas ideias e informações, mas nem sempre são apresentadas da melhor maneira. Entre as áreas problemáticas potenciais:

  • Comprimento de palavras e frases
  • Gramática
  • Estrutura do conteúdo
  • Uso da linguagem

A falta de legibilidade é um sinal de que você não está cuidando do seu público. Isso pode significar você:

  • Gasta muito tempo, dinheiro e outros recursos produzindo material que não se encaixa em seu propósito
  • Não tem um público envolvido
  • Perca a confiança do público, o que diminui o relacionamento dos clientes com o seu negócio
  • Encontre seus clientes levando seus negócios para outro lugar
  • Perder receita

A falta de legibilidade indica que você não está cuidando do seu público, afirma @stevelinney. #writingtips
Clique para Tweet


Quando o governo holandês usou ferramentas de legibilidade, descobriu que o nível de legibilidade de seu conteúdo (C1 – ver escala abaixo) era muito alto para a maioria dos leitores na Holanda, que estão em um nível de legibilidade B1.

Dado que a maioria dos leitores não conseguia entender completamente o conteúdo distribuído pelo governo, não era apenas um desperdício de dinheiro do contribuinte, mas poderia prejudicar o bem-estar das pessoas se elas não conseguissem entender o conteúdo relacionado a tópicos como segurança social.

Quando meu bebê caiu da escada, minha esposa e eu estávamos com medo. Entramos no modo de proteção total e pesquisamos no Google para ver quais sinais de perigo deveriam ser observados e se deveríamos levá-lo ao hospital. (Ele estava bem, já que não era uma queda ruim.) Eu odiaria ter lido conselhos que eram difíceis de entender rapidamente. Especialmente quando o pânico, estresse e uma criança chorando é adicionado à mistura.

No entanto, apesar de o americano médio ler em um nível de oitavo ano, o conteúdo médico focado no consumidor freqüentemente é muito complexo para o leitor médio, como mostrado em uma análise comparativa de materiais de educação de pacientes de 16 especialidades médicas.

Em nossos negócios, coletamos dados sobre legibilidade e descobrimos problemas comuns:

  • Uso excessivo de frases longas
  • Palavras com muitas sílabas
  • Confiança nos jargões e no jargão da indústria

A boa notícia é que esses erros podem ser evitados com a adoção de medidas de legibilidade como parte do processo de avaliação de conteúdo.


Frases longas, palavras com muitas sílabas, jargões e jargões tornam o conteúdo mais difícil de ler. @stevelinney
Clique para Tweet


CONTEÚDO RELACIONADO HANDPICKED:

  • Como tornar seu conteúdo mais legível
  • Obtenha seus leitores para ficar mais tempo com esses 4 formatos

Como adotar legibilidade, um guia passo a passo

Vou guiá-lo por nove passos para garantir que o seu público tenha mais probabilidades de consumir e interagir com o seu conteúdo.

1. Tenha um foco no cliente

Isso é marketing de conteúdo 101, mas é o aspecto mais importante. Crie conteúdo que:

  • É genuinamente útil para o leitor
  • É relatável
  • Responde uma pergunta ou resolve um problema
  • Informa, entretém ou educa (de preferência todos os três)

O ponto relacionado é essencial. Muito conteúdo, particularmente em sites, é me-me-me – a marca só fala de si mesma. Evite fazer isso a todo custo. Por exemplo, mude o foco de como você faz algo para como seus leitores podem se beneficiar adotando a mesma prática.

CONTEÚDO RELACIONADO ADAPTADO: Roteiro para o Sucesso: Criando o Conteúdo dos Sonhos de Sua Audiência

2. Obtenha uma pontuação de linha de base

Depois de preparar seu primeiro rascunho, é hora de determinar seu valor de legibilidade. Você pode usar uma das várias ferramentas gratuitas e pagas. (Divulgação: Minha empresa, readable.io, está em uma das listas.) Com esses testes, você pode aprender o nível americano Flesch-Kincaid junto com outras avaliações padrão de legibilidade, como o Flesch Reading Ease, o Gunning Fog Index, CEFR e SMOG Index. Alguns destacam palavra por palavra (ou frase por frase), os desafios de legibilidade em potencial.

CONTEÚDO RELACIONADO ADAPTADO: O Método Suportado pela Ciência para Criar Conteúdo Que os Leitores Adorem

3. Revise para alcançar o nível correto de leitura

Como regra geral, buscamos um nível de leitura de nota oito para os posts do nosso blog – que é o nível de um adolescente de 14 ou 15 anos – para garantir que um público amplo possa entender nosso conteúdo. Nós nos concentramos na 10ª série para e-books e na 12ª série para white papers e livros.

Sua descrição pessoal ou do público-alvo ajudará você a escolher o nível de ensino correto para seu conteúdo.


Suas personas irão ajudá-lo a escolher o nível certo para o seu # conteúdo, diz @stevelinney. #writingtips
Clique para Tweet


4 Encurte suas frases

O elemento número 1 com o qual os algoritmos de legibilidade concordam é que frases longas são ruins. Felizmente, é uma solução fácil – encurte suas frases.


O elemento número 1 com o qual os algoritmos de legibilidade concordam é que frases longas são ruins. @stevelinney
Clique para Tweet


Paradas completas e pontos de bala são seus amigos. Use-os e use-os com frequência. Em breve você terá conteúdo que:

  • Pode ser lido facilmente online
  • Não arrasta e drena seu leitor
  • Está estruturado de forma amigável ao leitor
CONTEÚDO RELACIONADO ADAPTADO: Palavras que convertem: Teste, aprenda, repita

5. Reduza o número de palavras longas

Palavras longas são outra bandeira vermelha para facilitar a leitura. Sempre que possível, procure alternativas mais curtas (por exemplo, você pode substituir a palavra "alternativas" por "opções").

Agora, isso nem sempre é possível, já que sua organização provavelmente tem algumas palavras que precisam ser usadas. Edite para minimizar o número de palavras longas, mas não torne tudo o mais legível possível, em detrimento da mensagem da sua marca.

CONTEÚDO RELACIONADO HANDPICKED: 7 correções para erros comuns da escrita [Examples]

6. Esfregue sua cópia dos chavões, geekspeak, jargão e acrônimos

Resista à tentação de preencher seu conteúdo com chavões, geekspeak, jargão ou acrônimos. Eles limitam o conteúdo para aqueles que já estão no conhecimento. Se você precisar usar termos desafiadores, explique-os.

Ao trabalhar em meu primeiro emprego em Londres, tive a satisfação de editar postagens de blog escritas por engenheiros estruturais. Eles gostavam de preencher seu conteúdo com tanto jargão e tantas acrônimos quanto podiam para tentar parecer mais espertos do que seus pares. Eles não se importavam com a legibilidade e seu público.

CONTEÚDO RELACIONADO HANDPICKED:

  • Mais de 15 palavras inúteis para melhorar a experiência dos leitores
  • 27 razões pelas quais seu conteúdo é uma merda

7. Não abuse dos advérbios

As pessoas freqüentemente tendem a usar excessivamente os advérbios, eventualmente fazendo com que as sentenças sejam realmente confusas.

Se você tirar todos os advérbios da sentença anterior, quanto melhor soa?

Como tudo na vida, a moderação é fundamental.

CONTEÚDO RELACIONADO HANDPICKED: Ann Handley sobre como fazer sua escrita "ridiculamente espetacular"

8. Estabelecer um equilíbrio entre formal e conversacional

Meu estilo preferido de escrever bordas para conversação com um tom formal, mas você tem que corresponder ao que seu público está esperando. Os dois estilos de escrita podem ser divididos facilmente:

Em conteúdo de conversação, tenho a intenção de fazer com que pareça que estou falando diretamente com você. Isso torna a experiência de leitura mais pessoal. Também me parece mais natural escrever dessa maneira, mesmo depois de anos escrevendo para um público B2B.

Só porque você está escrevendo para negócios não significa que você tenha que escrever sem personalidade. Certifique-se de que o fluxo da cópia seja natural e não forçado.


Certifique-se de que seu fluxo de cópia seja natural para garantir que seja legível, diz @stevelinney. #writingtips
Clique para Tweet


Em alguns casos, tons de conversação ou informais não são apropriados (por exemplo, uma política de privacidade). Mas formal não significa que você deve abandonar a legibilidade. Linguagem clara sempre ganha, formal ou de conversação.

CONTEÚDO RELACIONADO HANDPICKED: Conteúdo Conversacional: Como Comercializar Através de Mensagens de Texto e Chatbots

9. Busque feedback e revisão

Tempo de senso comum, novamente. Tantos pares de olhos quanto possível devem ler um documento antes que ele seja ativado. Como escritor, você pode estar muito perto do texto. Outra pessoa pode lhe dar a perspectiva de um leitor e apontar áreas de melhoria.

(Houve alguns grandes acréscimos a este post desde meu primeiro rascunho, sugeridos por aqueles que o revisaram. Minha vaidade como escritor não me deixa dizer o que eles são, apenas que eles existem.)

CONTEÚDO RELACIONADO ADAPTADO: Revisando e Editando: Como Tornar seu Conteúdo Menos Assustador

Conclusão

Legibilidade e marketing de conteúdo são os mesmos três princípios:

  • Mantenha seu público no centro de tudo que você faz.
  • Informe, eduque ou entretenha seu público.
  • Mantenha simples.

Manter as coisas simples não é fácil, mas a prática gera um conteúdo melhor. Quanto mais você se ativer aos princípios de legibilidade, mais prontamente seu público consumirá e se envolverá com seu conteúdo.

CONTEÚDO RELACIONADO ADAPTADO: Os Segredos do Conteúdo Online de Alto Desempenho

Por favor note: Todas as ferramentas incluídas em nossos posts são sugeridas pelos autores, não pela equipe editorial da CMI. Nenhum post pode fornecer todas as ferramentas relevantes no espaço. Sinta-se à vontade para incluir ferramentas adicionais nos comentários (da sua empresa ou daqueles que você usou).

Confira a legibilidade do boletim informativo semanal gratuito da CMI. Se inscrever hoje.

Imagem da capa de Joseph Kalinowski / Content Marketing Institute

A postagem Uma atualização para melhorar a legibilidade do seu conteúdo apareceu primeiro no Content Marketing Institute.




Artigos interessantes:

Seu caminho perfeito para o seu próprio curso online!

A melhor maneira de ter sucesso online é dando certo

Ingresso para o Futuro

DETALHES: StackThatMoney Londres – A DEVE Participar dos Eventos do Ano

Engenharia automóvel: Emprego e carreira na indústria automobilística

3D gráfico desenho em c# com ILNumerics

Como escolher um bom especialista em ansiedade

Seus grandes direitos de reembolso de congelamento – para entregas, quedas de água, trens, cortes de energia, buracos e mais

O anônimo: Não deixe uma pegada digital por 30 dias [LIFESTYLE X]


Como criar um painel de resultados de marketing local no Google Data Studio - Whiteboard Friday

Como criar um painel de resultados de marketing local no Google Data Studio – Whiteboard Friday


Postado por DiTomaso

Mostrar aos clientes que você está ganhando dinheiro é uma das coisas mais importantes que você pode comunicar a eles, mas é difícil saber como apresentar seus resultados de uma maneira que eles possam entender facilmente. É aí que entra o Google Data Studio. Na edição desta sexta-feira do Whiteboard, nosso amigo Dana DiTomaso compartilha como criar um painel de resultados de marketing local amigável ao cliente no Google Data Studio do início ao fim.

Clique na imagem do quadro branco acima para abrir uma versão de alta resolução em uma nova guia!

Transcrição de Vídeo

Olá, fãs do Moz. Meu nome é Dana DiTomaso. Sou presidente e sócio do Kick Point. Somos uma agência de marketing digital no norte gelado de Edmonton, Alberta. Trabalhamos com muitas empresas locais, tanto em Edmonton quanto em todo o mundo, e pequenas empresas locais geralmente têm as mesmas perguntas quando se trata de relatórios.

Estamos ganhando dinheiro?

O que vou compartilhar com você hoje é o nosso painel de marketing local que compartilhamos com os clientes. Criamos isso no Google Data Studio porque amamos o Google Data Studio. Se você ainda não assistiu ao meu Whiteboard sexta-feira sobre como fazer fórmulas no Google Data Studio, recomendo que você clique em Pausar agora, volte e assista a isso e volte a isso porque vou falar sobre o que aconteceu lá um pouco neste vídeo.

O painel do Google Data Studio

Este é um painel do Google Data Studio que tentei representar na lousa da lousa da melhor forma que pude. Imagine que seja um projeto um pouco melhor do que a minha mão esquerda pode representar em um quadro branco, mas você entendeu. Toda empresa local quer saber: "Estamos ganhando dinheiro?" Esta é a grande coisa que as pessoas se preocupam, e realmente todas as empresas se preocupam em ganhar dinheiro. Até mesmo instituições de caridade, por exemplo: o dinheiro é importante, obviamente, porque é isso que mantém as luzes acesas, mas também há, talvez, uma missão que elas têm.

Mas eles ainda querem saber: as pessoas estão preenchendo nosso formulário de doação? As pessoas estão nos contatando? Essas são coisas importantes para todos os negócios, organizações, sem fins lucrativos, o que quer que seja para entender e conhecer. O que tentamos fazer neste painel é resumir tudo ao básico absoluto, uma coisa que você pode ver, ver alguns pontos de dados, saber se as coisas estão boas ou se as coisas estão ruins.

As pessoas estão contatando você?

Vamos começar com isso aqui em cima. A primeira coisa é: as pessoas estão contatando você? Agora você pode dividir isso em colunas separadas. Você pode fazer chamadas telefônicas e e-mails, por exemplo. Alguns de nossos clientes preferem isso. Alguns clientes querem apenas um número amassado. Então, vamos pegar o número de chamadas que as pessoas estão recebendo.

Se você estiver usando uma ferramenta de rastreamento de chamadas, como o CallRail, poderá importar isso aqui. E-mails, por exemplo, ou formulários, basta adicionar todos juntos e, em seguida, você tem um único número do número de vezes que as pessoas entraram em contato com você. Normalmente, esse é um número muito maior do que as pessoas acham que é, o que também é legal.

As pessoas estão tomando a ação que você quer que elas realizem?

A próxima coisa é: as pessoas estão fazendo a coisa que você quer que elas façam? Isso realmente vai decidir o que é significativo para o cliente.

Por exemplo, se você tem um cliente, pensando novamente em uma instituição de caridade, quantas pessoas preencheram seu formulário de doação, seu formulário de doação on-line? Para um psicólogo nosso, quantas pessoas marcaram uma consulta? Para um cliente nosso que oferece gerenciamento de propriedades, quantas pessoas reservaram a visualização de uma propriedade? Qual é a coisa que você quer que eles façam? Se eles têm e-commerce on-line, por exemplo, então talvez seja quantas vendas você teve.

Talvez isso seja duas coisas diferentes – pessoas entrando na loja versus vendas. Nós também representamos neste campo se uma pessoa tem um contador de pessoas em sua loja, então nós colocamos esses dados do contador de pessoas aqui. Normalmente, podemos obter os dados do contador de pessoas em uma planilha do Google e, em seguida, extraí-los no Data Studio. Não é a coisa mais bonita do mundo, mas certamente representa todos os seus dados em um só lugar, o que é realmente o ponto de por que fazemos esses painéis.

De onde os visitantes vieram e de onde vêm seus clientes?

As pessoas que entram em contato com você, as pessoas fazendo o que você quer fazer, são as duas principais métricas. Então nós temos um pouco mais abaixo. Deste lado, começamos com: de onde vieram os visitantes e de onde vêm seus clientes? Porque eles são realmente duas coisas diferentes, certo? Nem todo visitante do site vai se tornar um cliente. Nós todos sabemos isso. Ninguém tem uma taxa de conversão de 100% e, se o fizer, você deve se aposentar.

Preenchendo o painel

Nós realmente precisamos diferenciar entre os dois. Nesse caso, estamos analisando o canal e provavelmente há uma palavra melhor para o canal. Estamos sempre tentando pensar: "O que os clientes chamariam isso?" Mas sinto que os clientes estão conscientes da palavra "canal" e é assim que estão chegando lá. Mas então a próxima coluna, por padrão, isso seria chamado de usuários ou sessões. Ambos são meio crus. Você pode renomear campos no Data Studio, e podemos chamar isso de número de pessoas, por exemplo, porque é isso.

Então você usaria os usuários como a métrica, e você apenas chamaria de número de pessoas em vez de usuários, porque pessoalmente eu odeio a palavra "usuários". Isso realmente reduz a humanidade de uma pessoa a uma métrica de usuário. Usuários são terríveis. Chame-os de pessoas ou visitantes pelo menos. Então, infelizmente, no Data Studio, quando você faz um campo de comparação, não é possível renomeá-lo e chamá-lo de comparação. Ele faz esse bom percentual de delta, que eu odeio.

É como um programador claramente criou isso. Mas por enquanto, temos que lidar com isso. Embora no momento em que este vídeo sair, talvez seja algo melhor, e então eu posso voltar e me corrigir nos comentários. Mas por enquanto é porcentagem delta. Em seguida, porcentagem de meta e, em seguida, novamente delta. Eles podem classificar por qualquer uma dessas colunas no Data Studio, e são dados reais ao vivo.

Coloque um período de tempo sobre isso, e as pessoas podem escolher o período de tempo que quiserem e, em seguida, eles podem olhar para esses dados, tanto quanto eles querem, o que é delicioso. Se você não está entregando ótimos resultados, pode ser um pouco assustador para você, mas realmente você não deveria estar escondendo isso de qualquer maneira, certo? Como se as coisas não estivessem indo bem, seja honesto sobre isso. Essa é outra conversa para outra hora. Mas comece com esse tipo de gráfico. Então, do outro lado, você está aparecendo no Google Maps?

Usamos o plug-in do Google My Business da Supermetrics para obter esse tipo de informação. Nós o conectamos à conta do Google Maps do cliente. Então, estamos analisando as pesquisas de marca e as pesquisas sem marca e quantas vezes elas surgiram no pacote de mapas. Geralmente nós vamos ter uma pequena explicação aqui. É quantas vezes você apareceu no pacote de mapas e nos resultados de pesquisa, bem como nas pesquisas do Google Maps, porque tudo é misturado.

Então o que acontece quando eles te encontram? Então, número de solicitações de direção, número de visitas ao site, número de chamadas telefônicas. Agora, a coisa mais complicada é que as ligações aqui podem ser captadas em ligações telefônicas. Você pode não querer adicionar esses dois dados ou apenas mantê-los separadamente, dependendo de como está sua configuração. Você poderia estar usando um número de rastreamento, por exemplo, na sua listagem do Google Meu Negócio e, portanto, seria capturado aqui.

Realmente, apenas tente ser honesto sobre a origem desses dados em vez da contagem dupla. Você não quer que isso aconteça. A última coisa é se um cliente tiver mensagens configuradas, então você também pode puxar as informações da mensagem.

Diga aos seus clientes o que fazer

Então, na parte inferior do relatório, temos algumas colunas, e geralmente esse é um gráfico mais longo e isso é mais curto, por isso temos espaço aqui para fazer isso. Obviamente, minhas habilidades de desenho não são tão boas quanto alinhar coisas no Data Studio, então me perdoe.

Mas nós dizemos a eles o que fazer. Normalmente, quando trabalhamos com clientes locais, eles não podem necessariamente pagar uma mensalidade para fazer coisas para os clientes para sempre. Em vez disso, dizemos a eles: "Aqui está o que você tem que fazer este mês. Aqui está o que você tem que fazer no próximo mês. Ei, você se lembrou de que deveria estar blogando?" Esse tipo de coisas. Basta colocá-lo aqui, porque os clientes estão olhando para os resultados, mas muitas vezes esquecem as coisas que podem obter esses resultados. Esse é um ótimo lembrete de que, se você não estiver satisfeito com esses números, talvez deva fazer essas coisas.

Diga aos seus clientes como usar o relatório

Então a próxima coisa é como usar. Esta é uma boa referência, porque se eles abrem apenas uma vez a cada dois meses, eles provavelmente esqueceram como fazer as coisas neste relatório ou até mesmo coisas como acima no topo, certifique-se de definir o período de tempo, por exemplo. Este é um bom lembrete de como fazer isso também.

Como o relatório é totalmente editável por você a qualquer momento, você sempre pode entrar e alterar as coisas mais tarde, e como o cliente pode visualizar o relatório a qualquer momento, eles têm um painel extremamente útil para eles e não precisam para te incomodar sempre que quiserem ver um relatório. Isso economiza tempo e dinheiro. Isso economiza tempo e dinheiro. Todo mundo está feliz. Todo mundo está economizando dinheiro. Eu realmente recomendo configurar um painel realmente simples como este para seus clientes, e aposto que eles ficarão impressionados.

Muito obrigado.

Transcrição de vídeo por Speechpad.com

Inscreva-se no The Moz Top 10, um mensageiro quinzenal atualizando você nas dez melhores notícias de SEO, dicas e links rad divulgados pela equipe da Moz. Pense nisso como seu resumo exclusivo de coisas que você não tem tempo para caçar, mas quer ler!




Posts imperdíveis:

O novo Google Search Console Beta – insights e novos recursos

Melhores Academias de Ginástica

Chobani está comemorando seu 10º aniversário dando-nos todo um iogurte grátis

Desafio De 30 Dias #5: Não Contém Cafeína

LIC AAO – Perspectivas Futuras e Crescimento de Carreira – Syllabus, Salário, Exame

Os usuários no Active Directory Pesquisar translation from VPE for Csharp – a maneira mais fácil

Trabalhe com freelance através do Crew.co como web ou designer móvel

Ferramenta de palavra-chave de Bing: como usar essa alternativa eficiente de custos

Dicas para vender fotos on-line para um banco de fotos


Como encontrar a história da sua marca

Como encontrar a história da sua marca


Charlie Jones, presidente e fundador do Brand Intersection Group, passou a sua carreira a combater um mal-entendido generalizado e fundamental sobre as histórias de marca.

“As pessoas dirão: 'precisamos de trabalho de branding', e então eles começam a conversa falando sobre esquemas de cores. Isso é um erro ”, disse ele. “Seu logo, sua slug line, seu esquema de cores, seus padrões gráficos, esses são vestígios de sua marca. Eles estão voltados para as articulações da sua marca, mas estão longe da arquitetura da marca. ”

Você não vai escolher cortinas e talheres antes de construir a base da sua casa. Quanto ao que compõe a arquitetura básica de uma marca, isso deve vir diretamente da liderança. "Uma marca é como uma empresa protege seus pilares", disse Jones. Em outras palavras, é o que eles representam. Encontrar e confirmar os pilares certos não é algo que deve ser delegado apenas aos profissionais de marketing. Isso requer informações da liderança sênior.

Em 2017, Jones ajudou Contently com seu próprio rebrand. Ele trabalhou em estreita colaboração com Kelly Wenzel, nossa ex-CMO que hoje é diretora de marketing global da Amazon Pay. (Entrei na Contently pouco depois que ela saiu.) Wenzel me disse que os efeitos do esclarecimento da marca da Contently eram óbvios em um quarto de sua data de início. "A Contently já tinha um alto reconhecimento da marca em seu público-alvo", disse ela, "mas o que ainda não havia sido decidido era uma voz e uma história consistentes. A marca é sobre definir seu propósito e alinhar suas distintas competências em torno disso. ”

A rebrand da Contently não foi uma revisão completa, mas as alterações causaram um impacto imediato no mercado. "Nosso trabalho não teve nada a ver com o produto e não lançamos nenhuma atualização", disse Wenzel. "A parte importante foi esclarecer o nosso propósito e alinhar todas as nossas mensagens em torno dele."

Depois de alguns meses de pesquisa e brainstorming, Wenzel, Jones, executivos e a equipe de marketing decidiram seis “pilares” temáticos para se reunir ”

1. Conte Grandes Histórias

2. Conteúdo Responsável

3. Fusão de Arte e Ciência

4. Estratégia de Conteúdo Inteligente

5. Engajamento Alimenta Crescimento

6. Escolha dos líderes de marketing

Mais de um ano depois, os líderes da empresa ainda verificam as apresentações, artigos, demonstrações e muito mais contra essas ideias.

Tudo isso significa que definir os pilares certos da empresa é complicado. Veja o que Jones disse sobre encontrar a história de marca correta que afetará sua lucratividade.

Abraçar a incerteza

A Entrepeneur estima que a média de startups espere pelo menos três anos antes de atingir a lucratividade. Wil Schroter, o CEO da Startups.co, concorda. “No terceiro ano”, escreve Schroter em seu blog, “o pó de pixie se esgotou. A emoção que você sentiu por ter começado alguma coisa se transformou em ansiedade sobre se você tomou ou não a decisão certa na carreira. ”

É claro que a ansiedade em fazer uma escolha difícil sempre contribui para uma grande ação crescente em uma história. Um período de incerteza pode soar como um momento desagradável para ser um empreendedor, mas é um ponto extremamente valioso para os profissionais de marketing que tentam contar as histórias desses empreendedores, anos depois.

Você deve começar com os eventos e valores que levaram os fundadores de sua empresa a iniciar o negócio. Entreviste seu C-suite um por um e encontre a narrativa através da linha quando eles explicam porque vieram para a empresa. Pergunte sobre as primeiras decisões tomadas em equipe e acompanhe essas conversas. Fale com os primeiros funcionários da empresa, mesmo que eles tenham se mudado. Pergunte aos líderes da empresa onde eles esperavam que a empresa fosse naqueles primeiros dias. Pergunte-lhes como as coisas mudaram.

Uma história bem elaborada inspirará os funcionários a se unirem à sua equipe com a mesma eficácia que inspira os clientes a assinar contratos ou fazer compras.

"Os líderes precisam de visões convincentes que valham a pena seguir e precisam alinhar suas equipes em torno dessa visão", disse Jones. “Todos os seus líderes pensaram em por que você está aqui, fazendo o que você faz? Um pequeno passo para descobrir a história de sua marca é trabalhar para garantir que sua equipe mais experiente se sinta proposital em seu trabalho. ”

Comece com o básico

Então, o que acontece se o seu C-suite não se sentir intencional sobre o seu trabalho? E se o propósito deles for apenas … lucro? "Qual é o objetivo de nossa marca?" Às vezes pode amedrontar ou paralisar profissionais, pois muitos de nós simplesmente trabalham sem se perguntar por que estamos fazendo isso. Para evitar enganar as pessoas, Jones aconselha os profissionais de marketing a começar com perguntas mais simples.

"Eu sempre digo, me conte suas histórias de clientes favoritas", disse ele. “Dê-me talvez de seis a dez exemplos da experiência de seus líderes que mostrem a empresa no seu melhor. Quando você agiu heroicamente para um cliente? Quando você se sentiu melhor sobre o seu trabalho? Quando você encantou as pessoas, e como podemos descompactar esses momentos para os ingredientes certos? ”Uma vez que uma equipe de liderança tenha compilado uma coleção dessas histórias memoráveis ​​e apaixonadas, eles podem entregar os materiais ao marketing para o brainstorming.

SoulCycle, um dos clientes de Jones, é o exemplo perfeito de uma marca cuja identidade depende de ir acima e além para os clientes. Quando o estúdio de ciclismo indoor se tornou público em 2015, um repórter desconcertado do The New York Times entrevistou evangelistas da marca sobre o SoulCycle. Ficou claro em suas citações que as mensagens e os serviços da marca do SoulCycle eram mais do que apenas aulas de ginástica.

"É a maneira mais segura, e às vezes única, de limpar a mente depois de um longo dia passado na frente de um computador", disse uma mulher. "É vendido de forma convincente e viciante como crescimento pessoal e progresso terapêutico por meio de condicionamento físico", disse outro homem.

Uma história bem elaborada inspirará os funcionários a se unirem à sua equipe com a mesma eficácia que inspira os clientes a assinar contratos ou fazer compras.

Ao centralizar sua marca nos momentos em que você se conecta profundamente com sua base de clientes, você incentiva seus especialistas e líderes a fornecer as peças necessárias para concluir o quebra-cabeça da marca. Eles provavelmente têm todas as peças à mão, mas ninguém pediu por elas ainda.

"Eu fiz um grande rebrand em todas as empresas de software nas quais trabalhei", disse Wenzel, "e às vezes era apenas uma questão de atualizar nossa imagem. Muitas vezes, porém, o processo de branding nos levou aos prisioneiros para realmente construir uma nova base para nós mesmos. Tendo feito isso muitas vezes, sei que pode parecer senso comum, mas há uma alquimia no branding que é difícil de explicar. É muito desafiador acertar essa fórmula. ”

Aprenda com antecessores

Os clientes mais bem-sucedidos de Jones "não estão tentando ferver o oceano". Em outras palavras, eles não estão tentando atrair todos os consumidores em potencial ao se apresentarem como universais. Clientes como Sweetgreen, SoulCycle e WeWork se aproximaram de sua empresa na esperança de projetar sua marca em torno de “as coisas que os iluminam” pessoalmente, e aconteceu que seus clientes se sentiram igualmente empolgados com saladas, aulas de spin e cerveja gelada , respectivamente.

Esclarecer a mensagem da sua marca pode compensar quase imediatamente, especialmente se seus concorrentes tiverem planos de negócios semelhantes. Se você não puder se diferenciar apenas por meio de produtos e serviços, poderá usar as mensagens para progredir.

"Por que diabos, por exemplo, há sempre trinta pessoas na fila para a Sweetgreen?", Perguntou Jones. “Certamente, eles passaram por outros quatro locais de saladas a caminho de Sweetgreen. Eles estão lá porque sentem algo pela marca. É porque esses clientes podem dizer: "É assim que eu sou. Eu faço parte dessa tribo e me envolver com essa marca específica me faz sentir como a pessoa que eu quero ser. '”

Só no Soho, os amigos da salada podem almoçar no Just Salad, no Chopt, Whole Foods, Hale e Hearty ou Fresh & Co, nas proximidades, mas a Sweetgreen é a única marca administrada como uma startup de tecnologia. Do marketing experiencial ao blog do Tumblr da marca, o foco da Sweetgreen em um público jovem e moderno é óbvio.

Em 2014, a Sweetgreen levantou US $ 18,5 milhões em financiamento de capital de risco e, no ano seguinte, levantou US $ 35 milhões a mais. A marca é visivelmente consciente da saúde, com certeza, mas também mais ousada e mais jovem – tudo resultado de uma marca inteligente e proposital. A Sweetgreen, além de ser uma das maiores cadeias salgadas de saladas dos EUA, também é a única marca de saladas concebível que conseguiu convencer Kendrick Lamar no auge de sua carreira para liderar um festival de música de saladas e colaborar com uma receita. chamado "Beterrabas não Kale My Vibe". Isso é poder.

Reunir evidências para provar o ROI

Provar um ROI de marketing para pessoas de outros departamentos tem sido o assunto de muitas conversas. Evidências que apóiam o sucesso de uma história de marca têm que convencer clientes, investidores e funcionários simultaneamente, e esses públicos terão definições de sucesso.

Muitas pessoas acreditam que a força de uma marca é medida em seu engajamento social. Ao discutir as empresas nas mídias sociais, por exemplo, os profissionais de marketing e os consumidores costumam dizer: "Bem, a conta da Wendy é muito engraçada", como se isso fosse suficiente. Para Jones, é mais complicado que isso.

"Uma marca é muitas vezes confundida com comunicações de marketing voltadas para fora", disse ele. “Como nos comunicamos com o mundo sobre quem somos, certamente é uma peça do quebra-cabeça, mas não é a coisa toda. Uma marca é, em última instância, a experiência que você oferece aos clientes, não a bela articulação de uma ideia ”.

Veja o Wendy's, que não é reconhecido apenas pelo seu feed do Twitter. É também a cadeia de fast food que distribui o Frosty “Boo Book” e zomba de outras cadeias por descongelar hambúrgueres congelados à venda. A percepção do produto corresponde ao sass que eles distribuem online.

Portanto, a história de uma marca precisa se referir à linha inferior da empresa no final, mas há muito tecido conectivo entre elas. E, de acordo com Jones, criar uma marca corporativa não é diferente do processo de esclarecimento da vida pessoal.

"É tão fácil se distrair e reagir", disse ele. "Se você não articular onde está mirando com sua marca e, em seguida, direcionar proativamente para essa meta, o mercado sairá do caminho, como se você fosse um barco no mar. Se você mantiver a mão no leme, mesmo em um mar tempestuoso, ainda estará no controle de onde sua marca aparece no mercado. ”

O post Como encontrar a história da sua marca apareceu primeiro em Contently.




Blogs Relacionados:

Por que você deve planejar sua campanha de anúncios do Facebook com o método SMART!

Superar a procrastinação de metas

Estado grande, grandes oportunidades: 12 maneiras flexíveis de ganhar dinheiro no Texas

Charles Ong Snapchat – CharlesNgo.com

25 melhores ideias de novos negócios na Índia com investimento baixo e médio

Instruções: roteadores de OpenWrt 20 € – OpenWrt no TP-link WR703N Flash

Como fazer um teste de gravidez corretamente

5 melhores segredos para manter um equilíbrio saudável entre vida e trabalho

Como o trabalho a distância melhora a sua vida


Marketing de Programa de Afiliados

Marketing de afiliados, como todos sabem, é um modelo de negócio comprovado, para ganhar dinheiro online, de forma fácil e recorrente. Você é obrigado a receber uma comissão de comissão pré-determinada para os comerciantes que estão vendendo produtos que estão sendo pesquisados ​​na Internet pelos clientes.

Portanto, a Internet é um meio de marketing para programas afiliados. Todas as técnicas de marketing que permanecem nos negócios do mundo real são as mesmas para os negócios online. No entanto, o Marketing na Internet tem suas próprias vantagens em relação ao Real World Marketing, na medida em que é econômico, rápido e fácil. Você desempenha o papel de um "intermediário" entre o "Comprador" e o "Vendedor".

Para começar e ter sucesso no Marketing de Afiliados, você precisa se adaptar aos seguintes princípios de "Marketing de Programa de Afiliados", ou seja,

1) Foco: – Um Negócio Afiliado por vez. Aderindo a um programa de afiliados com um site exclusivo promovendo esse programa de afiliados com um objetivo claro que leva à criação de sua própria lista de opt-in, coletando os nomes e endereços de e-mail de seus clientes em potencial.

2) Simplicidade e reputação: – Você deve ser interativo com os clientes em potencial e atraí-los com e-mails "diretos", e suas páginas devem ser simples e limpas. Você deve interagir com eles 'pessoalmente e em termos reais' do que ser um 'pseudo', isso ajuda a construir a reputação, a familiaridade com os possíveis clientes, obtendo assim uma 'marca' para vocês.

3) Lead Generation, List Building e Effective Follow-ups com os potenciais clientes proporcionando-lhes "informação de alta qualidade" e "melhor experiência de compra" cresce a sua quota de mercado, obtendo vendas e conversão de suas ligações para o seu sucesso como Super Affiliate Marketer.

Para obter resultados bem-sucedidos e reais, um profissional de marketing afiliado deve seguir estas etapas:

1) Um passo de cada vez e permanecer paciente.

2) Tome os esforços necessários e ação maciça, sempre que necessário.

3) Aprenda as habilidades básicas de Marketing na Internet.

4) Agir desde o primeiro dia do lançamento do Programa de Afiliados.

5) Entenda o conceito de Tempo versus Dinheiro Princípio.

6) Prepare listas de verificação e fixar prazos em todas as fases do Marketing de afiliados.

Esses fatores também desempenham um papel vital para ganhar dinheiro on-line através de programas afiliados.

1) Fornecer soluções para seus clientes nas listas de opt-in.

2) Percorra a página de vendas de Super Afiliados de sucesso porque eles já apontaram o que funciona online e você tem um sistema comprovado para seguir

Você usa o 'Sistema Provado' adotando as dicas acima que mencionei acima, você 'SUCESSO SEU CAMINHO COMO SUPER AFILIADO'.

Artigos que valem a leitura:

Experiências do fundador, dicas contábeis, informações de software e mais

Plataformas que utiliza Mercadolivre | Por Mundo virtual

Tudo que você não procrastinadores pode começar a arquivar seus impostos retorna hoje

8 Maneiras Simples para Corrigir o Seu Problema de fluxo de caixa

Será que as empresas de tecnologia já adotaram a ética com seriedade?

404Checkr – links automaticamente em validade teste

Como fazer um teste de gravidez corretamente

A Importância da Comunicação Visual no Marketing

Dicas para vender fotos on-line para um banco de fotos


Como o GDPR destaca como devemos ser marketing

Transcrição de aumentar seu foco e distrações de combate


Transcrição de Aumentar seu foco e distrações de combate escrito por John Jantsch leia mais em Duct Tape Marketing

Voltar ao Podcast

Transcrição

Esta transcrição é patrocinada pelo nosso parceiro de transcrição – Rev – Receba $ 10 de desconto no seu primeiro pedido

John Jantsch: Produtividade. Esse é o nome do jogo hoje, certo? Faça o máximo possível no dia que puder. Mas não vamos confundir produtividade com foco porque o foco é o que é necessário para realmente realizar o trabalho importante. E é sobre isso que falamos neste episódio do Podcast do Duct Tape Marketing. Nós vamos visitar com Chris Bailey. Ele é o autor de Hyperfocus.

Olá e bem vindos a outro episódio do Podcast de Marketing de Fita Adesiva. Este é John Jantsch e meu convidado hoje é Chris Bailey. Ele é um especialista em produtividade e um autor internacional de best-sellers do livro chamado The Productivity Project. Mas hoje nós vamos falar sobre um novo livro chamado Hyperfocus: como ser mais produtivo em um mundo de distração.

Então, Chris, obrigado por se juntar a mim.

Chris Bailey: Ei, obrigada por me receber, cara.

John Jantsch: Então, há duas palavras neste título que quero que passemos algum tempo. Foco e produtividade. São as mesmas coisas? Eles são intercambiáveis? Como eles estão ligados?

Chris Bailey: Acho que quanto mais focados somos e quanto melhor conseguimos nossa atenção, mais produtivos nos tornamos. Mas eu realmente não tenho uma maneira de cortar e enxugar a produtividade, porque quando você diminui a ideia de produtividade, percebe que há tantos efeitos quanto você consegue realizar ao longo do dia. Quanta energia nós temos afeta, se gastamos nosso tempo com as melhores coisas possíveis em primeiro lugar. E assim, o foco é uma daquelas coisas que contribuem para isso, mas, ao mesmo tempo, eu argumentaria que nos ambientes em que trabalhamos hoje, é o ingrediente que mais demanda e é o que tantas vezes temos o menor controle. Você sabe, o mundo decide por nós em que nos concentramos em vez de escolher o que nos concentramos antes do tempo.

John Jantsch: Na verdade, você poderia argumentar, e algumas pessoas fazem, que o hiper foco pode realmente ser um prejuízo. Você sabe, há muitas pessoas no mundo do TDAH que tratam a hiperfocagem, se é que é uma palavra.

Chris Bailey: Claro, porque não.

John Jantsch: E então, enquanto você está falando sobre isso como o assassino, também tem suas limitações … Ou tem que ser gerenciado para criar produtividade. Você concorda com isso?

Chris Bailey: Ah sim. A maneira que eu escolho para definir o foco hiper… Eu meio que empresto, como você disse, o termo da literatura sobre TDAH. Eu uso isso como uma definição para quando trazemos nossa atenção completa para algo, mas nossa atenção deliberada para algo. E assim, esse tipo de corte no âmago disso.

Se descobri uma coisa na pesquisa de produtividade e no desenvolvimento dessas ideias por tanto tempo, é que o que está no centro do que significa ser produtivo não está sendo mais difícil, difícil, rápido, rápido, rápido. Está trabalhando com maior intenção e deliberação. E também acho que isso é algo que precisamos fazer com nosso foco também. O termo hyperfocus, e se você olhar a capa do livro, eu tenho uma cópia aqui, é muito vermelha. É muito vívido e brilhante. E isso meio que implica alguma intensidade. Mas acho que é um pouco mais lento que isso. É só escolher o que nos concentramos antes de nos concentrarmos. O que é mais fácil dizer do que fazer, e é por isso que existem alguns livros sobre o assunto. Mas nós temos que trazer essa atenção deliberada para algo.

John Jantsch: Espere um segundo, estou fazendo uma negociação de ações agora.

Chris Bailey: Ok. O que … por favor volte, John.

John Jantsch: Não, estou brincando agora. Eu estou apenas tentando

Chris Bailey: John, volte.

John Jantsch: – para entrar nessa ideia de multitarefa. Não podemos fazer mais se formos multitarefa?

Chris Bailey: Não, John, não. Quantas vezes tenho que te contar? Não, acho que multitarefa é um fenômeno mal compreendido. Eu pensei que eu entendi entrando em escrever este livro, mas acontece que eu realmente não tinha uma compreensão disso.

Nós podemos multitarefa, mas apenas com hábitos. E então quem pode dizer que não podemos andar pela calçada enquanto ouvimos um podcast como este, enquanto evitamos as rachaduras na calçada enquanto mastigamos chiclete? Você sabe, nós podemos fazer a maioria dessas coisas porque a maioria delas são hábitos. Assim que iniciarmos a sequência de hábitos em nossa mente, poderemos passar pelo restante no modo de piloto automático.

Mas onde nos deparamos com problemas é quando temos que dar toda a nossa atenção a mais de uma coisa de uma só vez que as coisas mais complexas em nosso trabalho. E, francamente, poderíamos realizar várias tarefas se pudéssemos mudar facilmente de uma coisa para a próxima, para a próxima, para a próxima. Mas nós experimentamos uma espécie de resíduo em nossa atenção que existe da coisa anterior que estávamos fazendo.

Então, se estivéssemos conversando antes disso, isso poderia nos impedir de ficar imersos na conversa que estamos tendo agora, porque uma parte de nós está sempre pensando sobre o que estávamos fazendo antes. E assim, não podemos nos concentrar em mais de uma coisa ao mesmo tempo, então o que consideramos multitarefa é apenas essa troca rápida entre as coisas. Que, podemos alternar rapidamente entre as coisas, mas devido a esse resíduo que existe quando passamos de uma coisa para a seguinte para outra, as coisas levam em média cerca de 50% mais tempo.

John Jantsch: Sim, quero dizer, que … Todo mundo está focado em algo e foi interrompido e levou cerca de cinco minutos para voltar para ele. Eu acho que é isso que você está descrevendo, certo?

Chris Bailey: Sim. Bem, isso depende realmente. Essa é a coisa fascinante e uma das melhores partes sobre como lidar com o tópico para escrever o livro é que isso depende se a distração ou interação é externa ou interna. Então, quando somos completamente interrompidos, levamos cerca de 22 minutos para retomar o caminho e retomar a tarefa original. Mas quando procuramos algo para nos interromper, levamos cerca de 29 minutos para retomar o trabalho nessa coisa original e, aqui está a coisa, é que não vamos apenas fazer essa coisa e depois voltar. Fazemos outras tarefas 2.26 antes de retomar. Então nos distraímos uma segunda vez antes de voltarmos aos trilhos.

Mas, felizmente, há uma graça salvadora em relação a isso e é que essa distração não é nossa culpa. Nossa mente está ligada, de fato, a prestar atenção em qualquer coisa que seja uma de três coisas. Estamos preparados para prestar atenção em tudo que é agradável, em qualquer coisa que seja ameaçadora e em algo novo e inovador. Portanto, temos até um viés de novidade incorporado em nosso cérebro. Tipo, "Oh, devemos negociar algumas ações enquanto estivermos tendo esta conversa" porque é uma coisa agradável, inovadora, talvez ameaçadora, em que poderíamos nos concentrar em vez de uma conversa mais significativa que poderíamos ter diante de nós.

Então, não é necessariamente nossa culpa, porque o mundo está conectado de uma forma tão agradável, ameaçadora e inovadora. Mas nós, argumentamos no livro, precisamos sair à frente desse impulso.

John Jantsch: Você sabe, uma coisa que acontece no meu cérebro, e às vezes é a procrastinação, é … eu realmente não quero estar fazendo o que estou fazendo, então estou mais facilmente distraída. Mas às vezes, quando estou fazendo algo… escrevo muito e abro a aba e começo a escrever e estou focado e tenho muito para… E cerca de 40 segundos, estou tipo “ Eu acho que vou fazer outra coisa. Você sabe? Mas eu acho que é só o meu cérebro que me afasta e eu acho que é uma coisa muito comum, não é?

Chris Bailey: Sim. Eu não sei se você tirou 40 segundos do éter, mas a pesquisa mostra que 40 segundos é a quantidade média de tempo em que nos concentramos apenas em uma coisa. Quer estejamos escrevendo um relatório, quer estejamos atualizando um orçamento no Excel, quer estejamos escrevendo um e-mail. Então, esse é um tipo de tendência inovadora em ação em que estamos constantemente procurando algo que seja mais estimulante do que o que poderíamos estar fazendo, para que possamos ter mais dopamina fluindo em nossa mente. E isso diminui de 40 segundos para 35 segundos quando alternamos entre coisas quando temos aplicativos como Slack e Skype e outras mensagens instantâneas abertas enquanto trabalhamos.

E, você sabe, o que nós vemos como uma distração … Você sabe, eu falei sobre os três ímãs para nossa atenção, qualquer coisa que seja prazerosa, ameaçadora ou nova. O que vemos como uma distração, acho que você acertou em cheio na cabeça, é qualquer coisa que no momento seja mais prazerosa, ameaçadora ou original do que o que realmente deveríamos e queremos fazer. Por isso, acho muito importante domesticar essas coisas com antecedência.

Um dos meus aplicativos favoritos para escrever é chamado Cold Turkey Writer. Você já usou esse aplicativo antes?

John Jantsch: Eu não tenho, mas ouvi falar disso.

Chris Bailey: Aww man, sim. Então você liga, essencialmente, pega o seu computador. Ele diz que quer definir um limite, quantos minutos você quer escrever? Ou quantas palavras mínimas você quer escrever? E ele seqüestra o seu computador e você não pode mudar para fazer qualquer outra coisa até atingir a quantidade de palavras ou o tempo mínimo.

E assim, essas são maneiras, aplicativos como esse, bloqueadores de distrações. Como não podemos resistir ao Twitter no momento, dominar essas coisas antes do tempo é muito importante.

John Jantsch: Então nossos cérebros, nos últimos 10 anos, conseguiram esse novo condicionamento ou simplesmente … é mais fácil encontrar essas coisas? Quero dizer, isso sempre foi o caso ou estamos mais hoje?

Chris Bailey: Sim, nós sempre resistimos, certo? Como as tarefas mais importantes em nosso trabalho, elas são sempre menos agradáveis, menos ameaçadoras, menos inovadoras do que uma conversa com um colega de trabalho, alguma conversa fiada sobre bebedeiras. Mas as distrações internas definitivamente aumentaram com as quais nos interrompemos. E é porque o mundo está preparado para ser mais prazeroso, ameaçador e inovador, pois alternamos entre as coisas mais rapidamente.

E o que isso faz é … Eu faço um caso que é maior do que produtividade no livro, é que eu me propus a escrever um livro de produtividade, mas o que percebi rapidamente foi que o estado de nossa atenção é o que determina o estado de nossas vidas. Se nos distrairmos a cada momento, isso nos faz sentir sobrecarregados. Esses momentos não existem isoladamente. Eles acumulam dia a dia, semana a semana, mês a mês, ano a ano, para criar uma vida que é esmagadora e como se não tivéssemos um propósito claro para onde queremos ir.

E o mesmo é verdadeiro, no entanto, se fizermos um esforço concentrado para nos concentrar no que é significativo em cada momento, no que é produtivo. E isso nos permite realizar muito em cada momento. Conversas com os entes queridos, a corrida que estamos fazendo, a música que estamos ouvindo, a xícara de café que estamos bebendo. Parece tão luxuoso, mas realmente nos permite realizar mais e obter mais significado de nossas vidas.

Muito disso envolve a redução da forma como somos estimulados por padrão, porque acho que você acertou. Nunca estivemos tão ocupados enquanto realizamos tão pouco quanto hoje e eu diria que é porque somos muito estimulados. Então, diminuindo esse nível de estimulação, podemos pensar mais profundamente, podemos nos concentrar nas coisas por mais de 40 segundos, podemos perceber que nos desviamos do foco e reorientamos antes de 22 minutos ou 29 minutos, dependendo de onde uma distração ou uma interrupção vem de.

Então, acho que a ideia de que precisamos escolher o que prestamos atenção, e muito disso é assumir o controle de nossos ambientes, essa ideia nunca foi tão importante porque estamos cercados por coisas mais estimulantes do que nunca.

John Jantsch: Bem, e agora nós apenas mudamos para o aspecto espiritual do podcast hoje porque, na verdade, o que você está descrevendo de várias maneiras e o que você descreve em parte do livro, não o livro inteiro, mas parte do livro. livro, é coberto em um monte de textos orientais que falam sobre mindfulness.

Chris Bailey: Sim.

John Jantsch: E eu acho que isso é freqüentemente associado com pressão arterial mais baixa e mais paz e felicidade, e não é apenas produtividade, é?

Chris Bailey: Realmente é sim. Eu acho que é impossível se tornar mais produtivo sem se tornar mais deliberado. E é tão difícil se tornar mais deliberado sem se lembrar do que você está fazendo em primeiro lugar. Você sabe, toda atenção plena é um processo de perceber. Você percebe o que está fazendo. Você percebe o que está pensando. Você percebe as intenções de outras pessoas. Você percebe os impulsos que tem para poder dizer: “Oh, cara. Eu tenho um impulso para comer este saco de batatas fritas na minha frente. Talvez eu deva sair na frente desse impulso. Eu sinto que vou me distrair, talvez eu deva sair na frente disso. ”

E você está certo. A pesquisa confirma isso. Quanto mais controle temos sobre nossa atenção, mais controle temos sobre nossa vida. Meu estudo favorito é sobre isso. Quanto menos controlo tivermos sobre a nossa atenção, menos autónomos sentimos na nossa vida, menos nos aceitamos, menos felizes somos e menos satisfeitos estamos com as nossas vidas em geral.

Controle uma criança tem sobre sua atenção. Quanto mais mensagens de texto uma criança envia, de fato, menos elas sentem que têm controle sobre sua vida e se aceitam também. Portanto, essas verdades são universais e a qualidade da nossa atenção é importante. Eu acho que é o ingrediente mais importante para a nossa produtividade hoje.

John Jantsch: Então vamos soltar isso. O email está nos matando.

Chris Bailey: Oh caramba, cara, sim, é terrível. O trabalhador médio do conhecimento, alguém que trabalha na frente de um computador, verifica seu e-mail 88 vezes ao longo do dia, portanto, 11 vezes a cada hora. E os e-mails geralmente não levam muito tempo do nosso dia, mas exigem muita atenção. Então, essas são 88 vezes em que não estamos totalmente imersos em e-mail, estamos pensando nisso quando mudamos para outra coisa.

Então, uma coisa boa e tática com a qual alguém pode ir embora é trazer um pouco dessa conscientização, parte dessa deliberação, para o e-mail. Talvez só verifique se há novas mensagens, se você tiver tempo, atenção e energia para lidar com o que pode ter acontecido desde a última vez que você verificou. É uma tática simples, mas é uma maneira de diminuir a frequência com que você verifica. Ou manter um registro de quantas vezes você verifica durante o dia, porque se você estiver perto de 88 vezes, talvez queira diminuir um pouco.

John Jantsch: Existe um aplicativo? Tem que haver um aplicativo para isso porque eu provavelmente faço o check-up 200 vezes por dia. E eu penso-

Chris Bailey: Aww, cara, nós poderíamos ter um concurso.

John Jantsch: E eu acho que, como você estava descrevendo anteriormente, o e-mail oferece. Pode haver algo diferente lá, pode haver algo legal, algo aterrorizante, algo estimulante. Eu poderia ter mais negócios e acho que é sempre o fascínio, não é?

Chris Bailey: Sim. Bem, o que é mais prazeroso, ameaçador ou novo que você poderia receber no computador do que uma pequena notificação que aparece no canto da tela? Ou o som que estamos condicionados a quase salivar quando ouvimos que um novo e-mail chegou? Mas isso só torna mais crítico que saímos à frente desse impulso. Se você acha que precisa estar conectado o dia todo, o que francamente muitos de nós fazemos. Isto é a coisa sobre o conselho da produtividade é que você tem que seguir o conselho que funciona para você e deixar o resto.

Mas o email sprints é algo que eu treino muitas pessoas. A tática é simples. No início de cada hora, você ajusta o temporizador para 15 ou 20 minutos e explode quantas mensagens de e-mail você puder durante esse tempo. Então, essencialmente, você se concentra em e-mails e, em seguida, leva cerca de 45 minutos para o resto da hora para se concentrar em coisas que são mais importantes. Portanto, há maneiras de compartimentar essas idéias enquanto ainda estamos no controle de tudo.

John Jantsch: Bem, ele escreveu seu livro, o padrinho moderno da produtividade, David Allen. Lembro-me de ler "Getting Things Done" e isso foi … Você sabe, ele é como: "Toque uma vez. Lidar com isso ou não ir lá. "E eu acho que isso é uma versão do que você está dizendo.

Nós estamos espancando o que há de errado com o nosso mundo há um bom tempo aqui, então vamos seguir em frente, quais são alguns passos que você pode dar para realmente se concentrar?

Chris Bailey: Sim. Bem, algumas idéias para e-mail … verificar apenas se você tem tempo, atenção, energia, manter um registro, fazer alguns sprints. Seu smartphone é provavelmente uma das coisas mais agradáveis, ameaçadoras e inovadoras do seu ambiente.

Uma tática que eu amo para o smartphone, e uma vez que eu liguei para este modo, descobri que o meu uso basicamente metade, é o modo de escala de cinza. Você já ouviu falar desse modo no smartphone?

John Jantsch: Eu não tenho.

Chris Bailey: Você basicamente acessa o aplicativo de configurações e pesquisa a escala de cinza, a escala G-R-A-Y, e transforma a tela do telefone em preto e branco, então é como se você estivesse lendo um jornal.

John Jantsch: Bem, isso faz sentido, então você não tem todas as coisas coloridas e jazzísticas no [crosstalk] coisas, sim.

Chris Bailey: A cor, sim. Sim, é muito mais estimulante no momento. E uma vez que não está lá, você fica tipo "Oh. Isso é meio chato. Prefiro fazer algo mais colorido ”.

E outra tática é se importar com as lacunas do seu dia. E isso é algo que eu também sou um grande defensor. Outra coisa sobre a qual eu sou um grande nerd além da produtividade é o fluxo de tráfego, então como o tráfego flui por uma estrada. E se você observar o que permite que o tráfego continue avançando, não é a rapidez com que os carros individuais estão se movendo, mas sim quanto espaço existe entre os carros para permitir que o tráfego continue avançando. E acho que nosso trabalho é exatamente o mesmo.

Não podemos nos concentrar e refletir sobre algo ao mesmo tempo. E, de fato, quando nossa mente está vagando … Então, quando estamos caminhando a caminho de uma reunião ou simplesmente deixamos nossa mente descansar e vagar de um jeito ou de outro, nós realmente pensamos sobre nossos objetivos 14 vezes muitas vezes como quando estamos focados em alguma coisa. E assim é quando podemos definir uma direção para o nosso foco e então podemos nos concentrar para realmente levar o nosso trabalho adiante. Mas é esse tipo de intenção por trás de nossas ações que vem dessas lacunas em nossos dias. E então sim, essas são algumas idéias.

Mais um. Este é o meu ritual de produtividade favorito de todos os tempos e eu tenho falado sobre isso há anos, então se você me ouviu falar sobre isso, eu peço desculpas. Mas se você é novo nessa regra, é um dos meus rituais favoritos de produtividade. É chamado a regra de três e é assim.

No início do dia, você avança para o final do dia em sua mente e pergunta a si mesmo: “No momento em que esse dia estiver pronto, que três coisas principais eu quero ter realizado?” E é simples, mas permite que você priorize de modo que quando você perceber que sua mente está vagando ao longo do dia, quando você perceber que está em um poço de distração e está procurando algo para fazer, pode revisitar o que considerou importante o início do dia e, em seguida, você tem um benchmark para medir sua produtividade em oposição a apenas um tipo de ocupação.

E isso se encaixa com a maneira que pensamos. Você pode olhar à nossa volta e temos frases do tipo: "As coisas boas vêm em três" e "Celebridades morrem em três" e "A terceira vez é o encanto". E dividimos as histórias em três partes. Uma sequência de dezenas de eventos, nós os dividimos em início, meio e fim. Números de telefone são outro bom exemplo disso, que são essencialmente … Se você me perguntar qual é o meu número de telefone, não vou dizer que é um bilhão, seiscentos e treze milhões, oitocentos e noventa … eu digo que é 1-613 da da da da da. Você sabe, em pedaços de três e quatro. Então, isso se encaixa na maneira como pensamos, mas também é uma maneira de nos concentrarmos no que é realmente importante ao longo do dia.

John Jantsch: Agora, não sou especialista em produtividade, mas darei a minha dica. Eu descobri há alguns anos que, se eu realmente trabalhasse em dias mais curtos, eu fazia mais coisas.

Chris Bailey: Ah sim. Você sabe que esse é o tipo de efeito de um prazo em que você reduz o tempo de fazer algo e se esforça para dedicar mais atenção a esse período.

John Jantsch: Sim, eu quero dizer que a realidade é que eu ganho todas as coisas importantes … Essa é outra coisa que eu amo nessa regra dos três, muitos dias, eu posso fazer todas essas três coisas em 45 minutos e mais do que Eu passaria o resto do dia fazendo não é realmente tão valioso.

Chris Bailey: Sim. E esta é a verdade sobre o nosso trabalho, é chamada Lei de Parkinson, é o que é referido nos círculos de produtividade. Nosso trabalho tende a se expandir para se adequar ao tempo que temos disponível para sua conclusão. E isso é algo que encontro com alguns executivos que eu treino. Quando eles domam todas as suas distrações, então eles se forçam apenas por um dia a não ter uma distração improdutiva, trabalham o dia todo com o bloqueador de distrações … Algumas pessoas acham que têm três horas de trabalho para fazer e que o resto de suas distrações tempo, ele é preenchido com coisas que suportam o seu trabalho, como e-mail ou mídia social ou apenas checando as notícias, coisas que nos fazem sentir ocupados, o que nos faz sentir produtivo, mas não necessariamente nos permite realizar muito.

Então é uma boa maneira de entender o quanto você tem no seu prato também, porque às vezes se distrai … E essa é uma opinião controversa que eu tenho, mas acho que há muita verdade por trás disso. Às vezes, o fato de você se distrair muito ao longo do dia é um sinal de que você tem a capacidade de realizar ainda mais do que você e de assumir projetos ainda mais complexos do que o que você já está fazendo.

John Jantsch: Sim, isso faz todo o sentido para mim.

Visitando com Chris Bailey, ele é o autor de Hyperfocus: como ser mais produtivo em um mundo de distração. Chris, diga às pessoas onde elas podem descobrir mais sobre você, seu treinamento, seus livros e qualquer outra coisa que você queira compartilhar.

Chris Bailey: Sim. Então o livro é chamado Hyperfocus. Está nas livrarias em todo o lado. Se você gosta do som da minha voz… eu tenho um resfriado agora, então é um pouco mais baixo que o audiolivro, mas eu gravo meu próprio audiolivro. Sim. Meu site é chamado TheLifeOfProductivity.com e todos os meus artigos são gratuitos. Acabei de me livrar desse pop-up de boletim irritante que aparece quando você o visita, por isso agora é um lugar mais amistoso.

Sim, obrigado por me receber, cara.

John Jantsch: E o James Earl Jones fez o meu audiobook, mas… você sabe.

Chris Bailey: Não é grande coisa.

John Jantsch: Eu perguntei a ele, ele estava bem, ok? Tudo certo. Ele realmente não fez isso. Chris, foi ótimo visitar você. Ótimo livro e estou ansioso para encontrar você na estrada.

Chris Bailey: Você também.




Posts Relacionados:

6 razões nem sempre para prestar atenção às estatísticas e números

Como comprar hospedagem com BlueHost criar seu blog em minutos

Quer participar de uma escola de comércio? Você deve se inscrever para a bolsa de estudos de Mike Rowe

Como um Leitor do Blog Fez us $500 por Dia Usando 4 de Aprendizagem Hacks

Que tal um Papo de Maquiagem?

Melhor da Web #7 – código-bude.net

Como começar um negócio bem sucedido em casa

& # 039; Wombler & # 039; paga 67p por £ 41 de compras

O lado brilhante e obscuro do anonimato: um apelo para uma responsabilidade mais pessoal [LIFESTYLE X]


Como aumentar as taxas de conversão em 32%: um estudo de caso de mecanismo de recomendação

Como aumentar as taxas de conversão em 32%: um estudo de caso de mecanismo de recomendação


A personalização, disse Mottershead, está "fornecendo comunicações relevantes e personalizadas para o usuário certo no momento certo".

Os benefícios da personalização incluem melhorar as métricas de KPI e melhorar a experiência da marca para os consumidores. Os clientes querem se inspirar, disse Mottershead, e mostraram conteúdo relevante que eles podem não ter pensado em si mesmos.

Isso torna a personalização uma ferramenta inestimável para os varejistas, que podem usá-la para apresentar aos clientes produtos relevantes de uma loja on-line que, de outra forma, talvez não encontrassem.

Nick Mottershead ilustra a importância da personalização com uma estatística do Relatório de otimização da taxa de conversão do Econsultancy

Entrar motores de recomendação: um tipo de sistema de filtragem de informações que usa algoritmos de aprendizado de máquina para fornecer os itens ou conteúdo mais relevantes a um usuário. Os mecanismos de recomendação podem incorporar uma variedade de dados, incluindo o comportamento de compra do usuário, o comportamento de navegação do usuário, a demografia do usuário e os acionadores em tempo real.

Como isso funciona na prática? A Mottershead usou um estudo de caso de um grande varejista on-line, com quem a Lynchpin Analytics trabalhou para implementar um mecanismo de recomendação, para ilustrar como os mecanismos de recomendação podem beneficiar os varejistas, elevar as taxas de conversão e melhorar a receita.

Ele conduziu o público pelo processo do início ao fim, explicando como Lynchpin desenvolveu e executou seu mecanismo de recomendação, o que aprendeu com o processo e como pretende melhorar o sistema no futuro.

O poder da personalização: etapas simples para fornecer uma experiência única ao cliente

Um estudo de caso de personalização de varejo

Quem, o que, porque?

O cliente da Lynchpin era um grande varejista on-line que queria melhorar as taxas de conversão e o valor médio do pedido, oferecendo listagens de produtos mais relevantes e personalizadas em seu website.

Em termos de dados, disse Mottershead, Lynchpin queria analisar o comportamento do usuário para determinar os produtos que um consumidor provavelmente compraria e usá-los para fornecer recomendações.

Coleta e compreensão de dados

A coleta de dados inicial envolveu o acesso a dados transacionais históricos em todos os mercados e, em seguida, o uso de uma ferramenta de venda cruzada para descobrir insights.

A ferramenta analisou os crossovers em um nível de categoria e SKU (stock keeping unit), determinando as categorias de produtos e os códigos de produtos adquiridos por cada consumidor, a fim de estabelecer associações entre eles.

Análise de cesta de mercado e relações de produto

A equipe da Mottershead descobriu um problema inesperado de qualidade com seus dados, pois o ID do usuário alocado para clientes que fizeram check-out como convidados não foi consistente ao longo do tempo, dificultando a vinculação de compras repetidas.

Para neutralizar isso, a equipe usou um tipo de modelagem chamado Market Basket Analysis, que procura por combinações de itens que ocorrem juntos frequentemente em transações.

Estes foram então usados ​​para gerar um conjunto de regras de associação “se isso, então”:

  • Clientes que compraram istotambém comprou naquela
  • Usuários que ouviram isto também ouviu naquela
  • Assinantes que leem isto leia também naquela… e assim por diante.

A partir desses dados, a equipe criou uma Rede de Relações de Produtos que mapeou visualmente as relações entre os produtos que os clientes freqüentemente compravam juntos.

Um slide de apresentação mostrando a rede de visualização de relações de produto criada pelo Lynchpin Analytics.

A Mottershead explicou que isso poderia ser usado pela equipe de treinamento para entender como inspirar os clientes mostrando produtos relacionados entre si – produtos que poderiam ter um caminho complicado entre eles devido à estrutura do site.

Resultados e avaliação

Como essas recomendações apareceram no site? Os usuários com um produto em sua cesta ou com um histórico de compras no site receberiam um banner com os itens recomendados na página da cesta e na página inicial.

Todas as páginas de produtos também foram atualizadas com banners de itens que os usuários provavelmente comprariam com base no produto que está sendo visualizado, muito parecido com o da Amazon. "Clientes que viram este item também viram…" ou "O que os clientes compram depois de ver este item?" Banners de recomendação.

Mottershead descreveu os algoritmos como uma otimização que você poderia “sentar e colocar uma vez” e depois deixá-los em seus próprios dispositivos. Não houve necessidade de atualizar o mecanismo em tempo real – atualizações semanais ou mensais eram suficientes para manter as recomendações atualizadas e atualizadas.

Ele observou que havia alguns produtos que os clientes comprariam várias vezes, levando a Lynchpin a aplicar algumas regras específicas de negócios com base no cliente e no tipo de produtos que eles vendem.

As regras de compra do mecanismo de recomendação foram exibidas como um arquivo .csv simples. Esse formato significava que as informações poderiam ser compartilhadas em toda a empresa, dando às equipes de diferentes partes da empresa informações que elas poderiam usar – em vez de os insights serem uma “caixa preta que fica no site”, como a Mottershead disse.

Quais foram os resultados do estudo de caso? O piloto do motor da Lynchpin no Reino Unido alcançou Aumento de taxa de conversão de 32%, bem como 23% aumento de receita.

Nick Mottershead da Lynchpin Analytics está na frente de um slide detalhando a saída e os resultados do estudo do elenco.

A equipe da Mottershead ainda está aperfeiçoando o mecanismo, trabalhando para desenvolver algoritmos mais sofisticados que fazem uso de informações como tempo e comportamento no local. No momento, ele disse, a personalização é muito “um-para-muitos” – o ideal, eventualmente, é a personalização um-para-um.

Cinco dicas para personalização

Mottershead concluiu sua palestra com cinco dicas para realizar uma personalização eficaz:

1. Tome medidas sobre os dados que você tem hoje – mesmo que não seja de 360 ​​graus

A Mottershead enfatizou em vários pontos que você não precisa de uma visão completa do cliente em 360 graus para usar seus dados para personalização.

Na verdade, ele afirmou que ter um escopo mais limitado – e ser capaz de agir imediatamente – é mais eficaz do que ter grandes quantidades de dados.

2. Obtenha acesso aos dados que você tem em toda a organização

Os dados são muitas vezes isolados e espalhados por várias unidades de negócios: dados de CRM, dados transacionais, dados de interação na Web – a lista continua. Unificar estes, disse Mottershead, é a chave para um poderoso projeto de personalização.

3. Um modelo mais avançado não é necessariamente um modelo melhor

Complexidade não é necessariamente melhor. Entender o que está sendo alimentado no modelo, o que a saída significa e por que pode ser mais importante do que a própria saída.

4. Determinar como medir o sucesso

Quais são os principais KPIs que sua personalização deve afetar?

Mantê-lo simples e quantificável, aconselhou Mottershead, é provavelmente a melhor abordagem: por exemplo, "Eu quero aumentar a taxa de conversão para compradores pela primeira vez". Esse tipo de meta é compartilhável e muito simples para o teste A / B.

5. Adote uma mentalidade de “testar e aprender”

Falando em testes: a personalização deve ser um processo em evolução, não uma solução única fornecida por um modelo.

A Mottershead aconselhou o público a começar a trabalhar de maneira simples e lenta, à medida que se tornam mais confiantes e começam a entender melhor seus clientes e seus dados.

O post Como aumentar as taxas de conversão em 32%: um estudo de caso de mecanismo de recomendação apareceu primeiro no Econsultancy.




Sites imperdíveis:

Compressão de foto e imagem – Por que isso é importante, ferramentas e plugins.

Ganhar dinheiro com um negócio online: como começar hoje mesmo

Veja como uma fórmula simples pode ajudá-lo a ser um comprador de roupas mais inteligente

Desafio De 30 Dias #7 – Diário De

O Fotógrafo e o Marketing

SyntaxHighlighter simples em PHP – código-bude.net

Como evitar e prevenir lesões esportivas

A Importância da Comunicação Visual no Marketing

Ganhar Dinheiro Online


 Você é um profissional de afiliados de renda residual on-line?

Como um comerciante afiliado, você deve tentar escolher um produto que vai ajudá-lo a ganhar renda a longo prazo sem muito esforço. Você pode escolher um produto que forneça uma comissão única para cada venda que você fizer. Alternativamente, você também pode escolher um programa de afiliados de renda residual online que dá comissão todos os meses regularmente por muito tempo. Ele permite que você faça uma ou mais vendas para um cliente e depois lucre com esse cliente repetidamente enquanto o relacionamento entre o cliente e a empresa existir.

Aqui estão dois exemplos de programas de afiliados de renda residual online que você pode considerar:

1 Site de adesão. Para o programa de afiliados do site de associação, você ganha comissão desde que seu cliente permaneça como membro do site. Geralmente, esse site de associação oferece aos clientes algum tipo de programa de treinamento on-line ou compartilhamento de experiências no site. Embora seja de natureza de curto prazo, é bom o suficiente para que você renda regularmente, desde que os clientes permaneçam como membros, e continue pagando a taxa mensal por um período de tempo assinado.

2 Site de hospedagem. É do seu melhor interesse receber renda de uma venda pelo maior tempo possível. O programa de afiliados de renda residual on-line certo é capaz de lhe fornecer renda por um longo tempo.

Por exemplo, o programa de afiliados de hospedagem de site é um dos melhores, pois permite que você ganhe, desde que exista a relação entre os proprietários de sites e a empresa de hospedagem de sites. É ilegal que o dono de um site pare de usar os serviços de hospedagem se o seu negócio on-line estiver ganhando dinheiro.

Você não precisa fazer nada depois de ter feito a primeira venda. Você continuará a ganhar comissão toda vez que um cliente pagar uma taxa mensal pelo serviço ou renovar sua assinatura na empresa de hospedagem do site. No entanto, depende das regras e regulamentos relativos ao programa de afiliados oferecidos pela empresa de hospedagem do site. Você não receberá mais comissão por esse cliente específico quando deixar de pagar a taxa.

Encontrar os produtos certos para vender é importante para todos os comerciantes do Internet da filial. Como um comerciante do Internet, tente procurar programas afiliados que lhe dão renda residual online que duraria por um tempo de vida. Se você não puder, tente obter um programa de afiliados de renda residual de prazo como é muito melhor do que um tipo de comissão de programa de uma só vez.

Para saber mais sobre negócios de marketing na internet e outros programas de afiliados de renda residual online, clique nos links do produto na caixa do recurso. Você também pode ir ao meu site inboxeasycash.com para baixar um e-book gratuito instantaneamente.

Posts Relacionados:

Experiências do fundador, dicas contábeis, informações de software e mais

Como ser feliz? Mude sua vida

Estes 5 subsídios foram criados especificamente para ajudar as mulheres a iniciarem negócios

Desafio De 30 Dias #7 – Diário De

Que tal um Papo de Maquiagem?

Smartphone Android, usado como um telefone fixo (para Fritzbox usuários)

Começa em 2018 com esses cursos de design, marketing e desenvolvimento web para freelancers

Técnicas de Maquiagem para Festas

Ganhar Dinheiro Online


Os 4 estágios simples de uma estratégia de funil de e-mail envolvente

Os 4 estágios simples de uma estratégia de funil de e-mail envolvente


Jogue uma peça em uma conferência de marketing e você (levemente) baterá em alguém que possa lhe falar sobre a importância de uma lista de e-mail.

Eles não estão errados.

Apesar dos novos e chamativos canais de marketing surgirem constantemente, o email continua sendo um dos mais fortes para muitas empresas. De acordo com o eMarketer73% dos profissionais de marketing internos disseram que o marketing por e-mail proporcionou um ROI forte em 2017, tornando-se a resposta mais comumente relatada em sua pesquisa.

Mas a maioria dos conselho de marketing por e-mail lá está focado em construir sua lista. Coletando assinantes. Fãs açambarcamento.

Eles não explicam como transformar esses assinantes em leads e clientes.

Lembrar, Construir sua lista é apenas o primeiro passo no processo de marketing por e-mail e converter seu público em clientes. Se você não usar essa lista com sabedoria e planejar como mover os inscritos para a próxima etapa, o restante da jornada do comprador nunca será realizado.

Mas quando usado estrategicamente, o marketing por e-mail é um dos canais de marketing mais abrangentes que você pode usar. Não apenas cria um público-alvo ou gera leads, é incrivelmente eficaz em todos os estágios do funil de vendas. Desde a captura de visitantes no estágio de conscientização até o cuidado com os clientes atuais e a manutenção dos mesmos a longo prazo, os e-mails obtêm resultados de forma confiável.

Isso faz você querer moldar sua estratégia ASSIM QUE POSSÍVEL? Boa. Vai valer a pena.

Antes de começar a trabalhar, vamos analisar o que sua estratégia de e-mail deve cumprir em todas as etapas da jornada do cliente, além de exemplos e ideias para iniciar seu brainstorming.

[Tweet “The 4 Simple Stages of an Engaging Email Funnel Strategy by @thatbberg via @CoSchedule”]

[Cookie “Get Your Free Email Funnel Templates || https://media.coschedule.com/uploads/blog_4-stages-of-email-funnel-strategy-02.png || Download Templates || https://media.coschedule.com/uploads/Email-Funnel-Templates.zip”]

Etapa 1: gerar leads no topo do funil

Construir sua lista pode não ser o começo e o fim de uma forte estratégia de marketing por e-mail, como alguns profissionais de marketing afirmam ser, mas é definitivamente o início do processo. Os opt-ins por e-mail são uma das melhores maneiras de capturar visitantes de websites e redes sociais na parte superior do funil de marketing que ainda não estão prontos para comprar.

Quando alguém acessa seu blog, por exemplo, e aproveita o conteúdo e a experiência geral, mas não está pronto para comprar seu produto, inscrever-se na sua lista de e-mail é uma call-to-action alternativa que ainda o aproxima do cliente.

Alguém te entregando o e-mail deles é basicamente convidando você a vender para eles, desde que você forneça valor também. Dado o quanto pode ser difícil alcançar seu público-alvo em outras plataformas, como feeds de notícias determinados por algoritmos, você deseja esse relacionamento direto com o maior número de pessoas possível em seu público.

Alguém te entregando o e-mail deles é essencialmente convidá-lo a comercializá-lo.

Mas eles são tão conscientes de como é pessoal lhe dar o endereço de e-mail deles, em comparação com algo como seguir você no Instagram. Por causa disso, fazer com que estranhos se inscrevam em sua lista de e-mails pode ser um desafio, especialmente se eles já tiverem centenas de e-mails em suas caixas de entrada.

Veja como você pode enfrentar o desafio e mais para criar uma lista de assinantes próspera e de conversão com base no próprio sucesso do CoSchedule, criando uma lista de mais de 300.000:

Envie um boletim informativo semanal com valor agregado

Os boletins informativos por e-mail sobre os quais estamos falando não são apenas seu panfleto em PDF ou promoções de vendas semanais que algumas empresas chamarão de boletim informativo. Não, nós queremos dizer conteúdo de alto valor que inspira, nutre e converte.

Esse é um bom boletim informativo, por exemplo, o resumo semanal de novos conselhos de marketing da CoSchedule, tanto daqui como no blog e na Web.

(Fonte da imagem: https://coschedule.com/blog/how-to-make-an-email-newsletter/)

Em uma época em que somos obcecados por ímãs de leads personalizados, seminários on-line interativos e tipos de conteúdo mais novos e chamativos, é preciso um ótimo conteúdo para fazer um vale a pena se inscrever.

Para garantir que seu boletim informativo possa ser autônomo em termos de atrair inscritos, certifique-se de:

  • Determine um objetivo focado para basear sua estratégia de boletim informativo, como gerar ou nutrir leads qualificados, impulsionar renovações de clientes, etc.
  • Crie um tema e estratégia de conteúdo seus boletins podem seguir, como o tema do conteúdo mais recente do CoSchedule, para ajudar os profissionais de marketing a atingir suas metas.
  • Escreva uma cópia do boletim informativo que cultive sua marca. Eles podem ter uma reputação antiga por serem promocionais e impessoais, alguns dos boletins modernos mais populares, como TheSkimm e A agitação, construir uma comunidade tão engajada desenvolvendo vozes de marca e personalidades.

Qualquer um pode começar, sem precisar de tecnologia sofisticada. MailChimp é grátis para começar e capacitar algumas das marcas mais populares na internet, para que você possa começar de forma simples e desenvolver suas estratégias à medida que escala.

Ofereça ímãs de chumbo como ferramentas e recursos gratuitos

Se o envio de um boletim informativo baseado em valor todas as semanas em um futuro previsível, além de outros e-mails promocionais, não se encaixar em sua estratégia de conteúdo, há muitas outras maneiras de atrair novos inscritos.

Por exemplo, Negociar um recurso gratuito em troca do endereço de e-mail de um leitor é uma ótima maneira de fornecer uma tonelada de valor extra sem a criação contínua de conteúdo um boletim informativo pode envolver. Você pode criar e desenvolver o ímã de lead uma vez e promovê-lo e mencioná-lo em postagens de blog e outros conteúdos por meses.

[Tweet “Trading a free asset in exchange for a reader’s email address is a great way to provide a ton of extra value:”]

Os ímãs de chumbo populares e fáceis de criar incluem:

  • Listas de verificação e folhas de dicas
  • Pastas de trabalho preenchíveis ou imprimíveis
  • Ebooks
  • Modelos de planilha e documento

Idéias de ímã de chumbo para construir sua lista de e-mail

Você também pode levar ofertas gratuitas para o próximo nível e, em vez de criar um PDF ou um recurso para download, é possível criar uma ferramenta interativa para que os inscritos possam obter um valor contínuo. Alguns ótimos exemplos incluem o CoSchedule Analisador de mancheteMention’s Graduador de marcase Unbounce’s Analisador de página de destino.

Execute cursos e e-mails e desafios

Para combinar o valor educacional das ofertas de conteúdo com o valor contínuo das ferramentas, algo como um curso ou desafio por e-mail pode oferecer o melhor de ambas as opções.

Eles podem envolver uma série completa de e-mails, ao contrário de um único recurso para download. Isso pode ajudar o conteúdo a se tornar mais gerenciável para os consumidores e ajudar você a criar um relacionamento com eles ao longo de alguns dias, em vez de uma transação única.

Você pode optar por instruir seus novos inscritos no curso de alguns dias, como um curso de e-mail gratuito de cinco dias, ou focar em um conteúdo mais orientado para a ação com um desafio para alcançar um determinado resultado dentro da duração da oferta.

Realize seminários on-line sobre o desenvolvimento de público-alvo

A ferramenta final de geração de leads para mencionar hoje é webinars ao vivo. Conteúdo ao vivo e baseado em vídeo é uma ferramenta poderosa em todas as etapas do funil, por isso será mencionado novamente, mas um dos elementos mais valiosos dos webinars é o quanto as pessoas estão dispostas a entregar um e-mail para atendê-las.

Isso os torna ouro para a geração de leads, especialmente quando você realmente o aperfeiçoa. Os seminários on-line de geração de leads podem ser feitos repetidas vezes sobre o mesmo tópico e levados em turnê para novos públicos, como um circuito virtual de falar em público.

[Tweet “Lead generation webinars can be done over and over on the same topic and taken on tour to new audiences”]

Essa estratégia exata foi um fator importante no crescimento ConvertKit de US $ 98 mil a US $ 625 mil em receita recorrente mensal.

A equipe de marketing da ConvertKit usou webinars colaborativos com afiliados para criar um público e uma comunidade antigos em torno de seus produtos. Eles conseguiram realizar o mesmo webinar mais de 150 vezes, cada vez para um novo público que converteu incrivelmente bem. Anos depois, é uma tática que eles continuam hoje.

Com as ferramentas de webinários focadas em marketing que permitem que você se preocupe mais com o conteúdo do que com a tecnologia, tornou-se fácil para empresas de qualquer tamanho criar campanhas de marketing completas em seminários on-line. Por exemplo, ClickMeeting é uma opção que não é apenas para a execução de webinars, mas a conversão deles com recursos como botões de call to action integrados.

(Fonte da imagem: https://clickmeeting.com/tools)

Etapa 2: nutrir leads no meio do funil

Certo, você encontrou uma tática de geração de leads que funciona para você. Depois de gerar leads e inscritos, você precisa fazer algo com eles. Em seguida, você quer:

  1. Qualificá-los como clientes potenciais e
  2. Segmente-os de acordo com as personas do comprador da sua equipe

Depois de qualificar alguém e compará-lo a uma pessoa compradora, você pode compará-lo ao seu produto, serviço, proposta de valor, etc. mais relevantes e, em seguida, planejar os e-mails que os guiam estrategicamente para a compra.

Parece complicado, mas com a maioria dos softwares de automação de marketing e e-mail, isso é feito de maneira fácil e automática.

Por exemplo, você pode segmentar seus leads antes de interagir com eles com base em informações simples, como:

  • Qual ímã, formulário ou página da web que eles inscreveram
  • Comportamento do site e do assinante
  • Informação demográfica

A pontuação de chumbo pode ser feita da mesma maneira. E lembre-se, seqüências de gotejamento são seu amigo! Por consistentemente enviar e-mails aos leads, você os mantém engajados e tem a oportunidade de aprender mais sobre eles através de suas aberturas, cliques e respostas.

[Tweet “By consistently emailing leads, you keep them engaged and have the opportunity to learn more about them through their opens, clicks, and replies.”]

Durante a criação, você deseja continuar fornecendo valor, construindo confiança e desenvolvendo um relacionamento com sua liderança até o último momento antes de converter. Cada email é uma nova oportunidade para criar mais rapport com eles, assim como aprender sobre o comportamento deles e personalizar seu marketing de acordo.

Você quer construir até o momento da conversão: onde você está falando com a pessoa certa com a mensagem certa e o tempo certo.

Como você faz isso? Aqui estão alguns dos tipos de e-mails que alimentam os leads e os levam para a próxima etapa do funil de vendas.

Use emails de segmentação automática

Um e-mail de auto-segmentação apresenta diferentes opções para seus leads e permite que eles selecionem o que é mais relevante. Você pode, então, movê-los para os segmentos de e-mail apropriados com base na opção ou nas opções em que eles clicam.

Você tem muitas opções para segmentar, com base no que é mais útil para sua empresa:

  • Quais tipos de conteúdo eles preferem
  • Em quais tópicos eles estão mais interessados
  • Objetivo ou razão para se inscrever em sua lista

3 maneiras de se inscrever no e-mail

Isso funciona muito bem como um e-mail de boas-vindas ou de confirmação quando alguém se inscreve, mas você pode pedir a alguém para se auto-segmentar mais de uma vez e em qualquer ponto da jornada do comprador. Todos agradecem a promessa de e-mails mais relevantes e úteis.

[Tweet “Everyone appreciates the promise of more relevant and useful emails.”]

Enviar estudos de casos e histórias de clientes

À medida que você começa a apresentar seus leads mais diretamente ao seu produto, você quer fazer o máximo possível para ajudá-los a se ver usando seu produto ou serviço. Embora a segmentação para que você possa falar mais especificamente com as pessoas é ótima, você precisa "mostrar" e "contar".

O envio de estudos de casos de leads, histórias de sucesso, depoimentos e outras provas sociais com clientes semelhantes a eles farão isso.

Continue fornecendo recursos gratuitos até o fim

Por fim, continuar oferecendo conteúdo gratuito que esteja cheio de valor continuará causando impacto em todo o funil. À medida que a liderança se movimenta pelo conteúdo estimulante e você aprende mais sobre eles, você pode até se tornar mais relevante, pessoal e valioso com esse conteúdo.

Por exemplo, mudando os tópicos de seus seminários on-line de conteúdo mais amplo para ideias mais específicas de soluções, você pode usá-los para estimular e gerar leads.

Software de monitoramento Menção, por exemplo, oferece webinars tópicos como os discutidos acima (como um deles hospedado com o CoSchedule!), bem como mais webinars focados no produto que são ridiculamente úteis para aqueles que já estão interessados ​​neles.

(Fonte da imagem: https://info.mention.com/live-training)

Se você fornecer vários formatos de conteúdo estimulante, como adicionar webinars a suas sequências de e-mail, verifique se consegue acompanhar os resultados por canal e por todo o seu funil.

Por exemplo, painéis de marketing como Cyfe permite que você extraia informações de vários aplicativos e ferramentas para acompanhar todos os estágios e locais do funil em um só lugar. Você adicionaria widgets pré-criados para suas ferramentas, como o Google Analytics, InfusionSoft e Unbounce, em seus locais apropriados em seu mapa de funil.

(Fonte da imagem: https://www.cyfe.com/marketing-dashboard)

Etapa 3: converter clientes na parte inferior do funil

Parabéns! Seu e-mail lead gen e nutrir são fantásticos e prepararam leads perfeitamente.

Você mostrou valor, construiu um relacionamento e disparou todos os gatilhos psicológicos que tem pessoas prontas para comprar. Isto é obviamente o que você estava esperando, o momento em que seu funil (literalmente) vale a pena.

Com o seu funil de marketing por e-mail tão cuidadosamente configurado com as etapas que analisamos, como usar a segmentação para fornecer um valor super personalizado, você tem uma grande chance de converter um novo cliente. E a segmentação está prestes a ser útil novamente.

Além de usá-lo para oferecer campanhas de incentivo mais personalizadas, você pode usá-lo para oferecer seu produto ou serviço da maneira mais relevante possível a cada prospecto individual. Entre os funis e seqüências automatizadas e seu calendário de marketing sazonal / regular, você tem muitas opções para alcançar seus clientes, e todos terão mais sucesso, pois o restante do seu funil é segmentado.

Combinando a segmentação com diferentes estratégias de conversão, como as listadas abaixo, você estará ao alcance assim que o cliente atingir o momento de decisão e compra.

Retarget Inscritos Com E-mails e Anúncios

Mais uma vez, neste ponto, você está procurando pelo momento perfeito em que sua perspectiva está pronta para comprar. Neste ponto, você construiu uma reputação suficiente com eles de que os anúncios colocados na frente deles serão convertidos corretamente.

(Fonte da imagem: https://okdork.com/how-to-spend-your-first-100-on-retargeting-ads/)

Você não precisa se limitar a apenas enviar e-mails para acessá-los de forma acessível. Os anúncios de redirecionamento podem ser alguns dos tipos de marketing pago com a melhor relação custo-benefício. Por exemplo, AppSumo foi capaz de alcançar um ROI de 224% de uma campanha recente de redirecionamento.

Dito isso, o retargeting de e-mail pode ser tudo o que você precisa, especialmente com seus leads mais calorosos, como carrinhos abandonados de e-commerce. Os e-mails de carrinhos abandonados encontram pessoas que basicamente já decidiram comprar seu produto, por isso, oferecer mais uma vez é uma vitória fácil.

(Fonte da imagem: https://support.bigcommerce.com/articles/Public/Using-the-Abandoned-Cart-Saver)

Quando Caravana do Henna primeiro iniciado usando e-mails de retargeting e de carrinho abandonados, teve um grande impacto na aquisição de novos clientes. A fundadora Jessica McQueen explicou ao BigCommerce como era ver os resultados chegarem:

“Isso se transformou na parte mais emocionante do meu dia, vendo um carrinho abandonado ser convertido em uma venda … Eu não tinha ideia de que as pessoas estavam deixando o carrinho vazio e o quanto estava sentado na mesa no final do dia. "

Criar tempo e ofertas baseadas em urgência

Outra ótima maneira de converter perspectivas bem nutridas é através de ofertas baseadas em tempo limitado e outros fatores de urgência. Ao criar prazos autênticos e éticos em seu marketing, como ofertas e descontos que expiram em seu funil, você dá aos clientes um motivo para convertê-los hoje em dia na próxima semana.

Uma ótima ferramenta para isso, por exemplo, é Funil de prazo. Ele permite que você crie facilmente prazos personalizados e ofertas de escassez para cada lead, com base em diferentes atividades de e-mail e website. Então você pode acionar um funil com prazo final expirado para:

  • Novos leads que acabaram de se inscrever na sua lista
  • Clientes existentes para celebrar ocasiões como aniversários
  • Perspectivas que visitaram determinadas páginas de alta intenção em seu website

É uma abordagem do tipo "pegue-os enquanto estão quentes", o que pode levar a altas taxas de conversão quando a situação está correta.

Usuários de avaliação gratuita a bordo

Por fim, se você está vendendo algo com algum tipo de teste gratuito, como software, não pode presumir que eles foram vendidos depois que se inscreveram para uma avaliação gratuita. A verdadeira conversão – eles se tornando um cliente pagante – ainda não aconteceu.

Você ainda precisa envolvê-los e cultivá-los, e é nesse ponto que é mais importante. Você pode introduzir tutoriais, casos de uso e mais conteúdo relacionado a produtos para levá-los ao ponto de compra final.

Por exemplo, como observado em Desmontagem do onboarding de Val Geisler, Mixmax envia aos seus usuários gratuitos uma introdução ao produto na forma de um curso por email ou sequência educacional.

(Fonte da imagem: http://www.valgeisler.com/email-onboarding-tear-down-mixmax/

Passo 4: Ative os clientes e retenha-os para sempre

Quando alguém se torna um cliente e alcança a parte inferior do funil de vendas, você pode pensar que seu trabalho como profissional de marketing acabou. Desculpe, mas esse não é o caso. Retendo os clientes e ampliando seu relacionamento com eles, você otimizará o valor do cliente ao longo da vida e aumentará seu ROI de marketing.

Assim, quando alguém se tornar um cliente, aproveite uma breve pausa, pois em breve é ​​hora de começar a trabalhar para a próxima conversão.

E-mail é uma das melhores maneiras de manter contato com eles e incentivá-los aqui também. Você quer provar e aumentar continuamente o valor, permitir que os clientes melhorem sua experiência e tornar seu produto mais aderente em suas vidas, para que eles renovem, usem mais, reabasteçam ou o que você precisar.

Não é muito diferente de estimular potenciais clientes, exceto que você pode e deve falar mais diretamente sobre seus produtos e serviços para manter os clientes envolvidos. E há tantas maneiras de fazer isso.

Mantenha os clientes envolvidos com o seu produto

Uma maneira importante de usar o email é manter as pessoas precisando do que você oferece. Quer seja um aplicativo, um produto físico ou um serviço, lembre-os e ajude-os a mantê-los em suas vidas.

(Fonte da imagem: mine)

eu amo o jeito Gramaticalmente faz isso. Como uso o plug-in gratuito do Chrome em execução em segundo plano, isso nem sempre está na minha mente.

Mas seus e-mails de relatórios de progresso semanais me deram estatísticas e elogios úteis (“Você era uma abelha muito ocupada”), junto com CTAs para usar e atualizar minha conta gratuita, nunca deixei que ela desaparecesse por muito tempo.

Encontre oportunidades de venda orgânica e vendas cruzadas

Além de manter os clientes voltando, você também quer encontrar oportunidades de vender ofertas maiores ou relacionadas. A chave para fazer isso sem ser agressivo, você deve procurar maneiras de recomendar as coisas no contexto do valor que você fornece e da vida do seu cliente.

(Fonte da imagem: mine)

Um ótimo exemplo disso é Cuidado / De vitaminas. Eles enviam e-mails e boletins informativos baseados em produtos que são super úteis e perspicazes, personalizados com base nos produtos que você compra deles.

Ele permite que os clientes saibam mais sobre sua saúde e produtos, e obtenham ainda mais valor gratuito. Eles conquistam você tão bem que os upsells e calls-to-action nos emails são completamente naturais e verdadeiramente atraentes.

Ativar os defensores das campanhas de indicação e propaganda boca a boca

Por fim, conseguir que os clientes comprem novamente não é a única maneira de obter mais valor e ROI deles. Os clientes têm amigos, colegas, vizinhos e outras pessoas que podem ser seus clientes perfeitos.

Marketing de advocacia, referênciase o boca-a-boca permite que você use clientes satisfeitos para encontrar novos como eles. Embora seja preciso um produto e funil mais maduros e só deve ser oferecido a clientes satisfeitos e engajados, incentivando os clientes já satisfeitos a compartilhar essa satisfação.

Crie uma estrada de tijolos amarelos com seus funis de e-mail

Até agora, você já viu várias maneiras de usar o marketing por e-mail em todas as etapas do funil de vendas:

  • Você pode gerar leads com ímãs de lead, desafios e outros conteúdos gratuitos valiosos
  • Cultive esses leads segmentando e personalizando seus e-mails e comunicação
  • Converta-os com retargeting, urgência e onboarding épico
  • Mantenha os clientes engajados a longo prazo com os e-mails e recomendações dos clientes

O que quer que esteja impedindo seu funil de atingir suas metas de marketing, você pode identificar qual é o estágio da jornada e criar uma estratégia de funil de e-mail para resolvê-lo.

[Tweet “Could something be holding back your email funnel from achieving your marketing goals?”]

A postagem Os quatro estágios simples de uma estratégia de funil de e-mail envolvente apareceu primeiro no CoSchedule Blog.




Posts interessantes:

Estrutura do portal do site – Abordagem, estatísticas e dicas práticas

Tem Gente Vivendo de Brigadeiro

Pare de fingir não ver que verifique a luz do motor. Ignorando que é caro

Como ter um casamento de sucesso?

20 idéias bem sucedidas de negócios em casa na Índia

9 tendências SEO para 2015 – código-bude.net

Como começar um negócio bem sucedido em casa

A Lua de Mel

Dicas para vender fotos on-line para um banco de fotos


2019 Pesquisa de marketing de conteúdo B2B: vale a pena colocar o público em primeiro lugar

2019 Pesquisa de marketing de conteúdo B2B: vale a pena colocar o público em primeiro lugar


Você percorreu um longo caminho, profissionais de marketing de conteúdo. Hoje, quase todos os profissionais de marketing de conteúdo B2B de alto desempenho, 90%, colocam as necessidades informacionais do público-alvo à frente da mensagem de vendas / promocional da empresa.

Dez anos atrás, quando o fundador da CMI, Joe Pulizzi, co-escreveu Get Content Get Customers, O marketing de conteúdo era um conceito novo para muitos profissionais de marketing tradicionais. Agora, é uma prática comum mostrar o quanto os profissionais de marketing ajustaram seu raciocínio.


90% dos profissionais de marketing #content de melhor desempenho colocam as necessidades informativas do público em primeiro lugar. @centicontent. #pesquisa
Clique para Tweet


Como os profissionais de marketing de conteúdo alcançam esses públicos, onde estão investindo e com o que mais se preocupam, algumas das novas descobertas são apresentadas na nona edição anual do B2B Content Marketing 2019 da CMI e da MarketingProfs: Benchmarks, orçamentos e tendências – relatório da América do Norte, patrocinado pela Maestro. Apresentamos a pesquisa a cada outono para ajudar os profissionais de marketing de conteúdo a planejar o próximo ano.

Este ano, fizemos uma mudança significativa na metodologia. Limitamos a pesquisa aos entrevistados cujas organizações usaram o marketing de conteúdo por pelo menos um ano. Além disso, qualificamos os respondentes pedindo que eles confirmassem se são profissionais de marketing de conteúdo, alguém envolvido com marketing de conteúdo ou alguém a quem a equipe de marketing de conteúdo reporta. Isso nos deu um grupo mais experiente de profissionais de marketing de conteúdo e, acreditamos, insights mais robustos.

Aqui estão alguns destaques do relatório de 2019.

Os profissionais de marketing de conteúdo estão criando com sucesso a confiança

Quando você prioriza as necessidades de seu público – e cria seu conteúdo com base nessas necessidades – o que você realmente está tentando fazer? Claro, você quer que seu conteúdo seja encontrado, consumido, discutido e / ou compartilhado, para gerar ação por seu público. Você quer que as pessoas certas encontrem valor em seu conteúdo e se inscrevam nele.

Mas o que está acontecendo em um nível mais profundo quando você ajuda alguém fornecendo informações valiosas? Nossa pesquisa indica que você está criando um vínculo: 96% dos profissionais de marketing de conteúdo mais bem-sucedidos concordam que o público visualiza a organização como um recurso confiável e confiável.


96% dos mais bem sucedidos # B2B #content marketing dizem que o público vê sua empresa como um recurso confiável. @centicontent
Clique para Tweet


O sucesso na criação deste vínculo não se limita aos profissionais de marketing de conteúdo mais bem-sucedidos: 68% de todos os profissionais de marketing B2B afirmam que usam o marketing de conteúdo com sucesso para gerar credibilidade junto ao público.

Como você pode usar essa percepção

Robert Rose, assessor chefe de estratégia da CMI, descreveu recentemente a importância de ganhar não só a atenção do público, mas também sua confiança: “Toda experiência digital que criamos não deve refletir apenas nosso foco em ganhar um momento de verdade – onde o cliente está prestando atenção – mas em aprofundar a confiança adquirida (ou recuperada) em cada passo que a precede ou segue ”.

Ganhar essa confiança exige que seu conteúdo tenha quatro características essenciais, escreve Robert. Deve ser:

  • Risco apropriado (evite pedir algo antes de provar o valor)
  • Consistente (fornecer conteúdo confiável regularmente ao longo do tempo)
  • Pessoal (com base em informações confiáveis ​​que o visitante forneceu de bom grado)
  • Cumulativo (com base no que veio antes)

Em suma, se você quiser que sua marca seja bem vista pelo público, dê algo valioso. Ser consistente. Seja fácil de encontrar. Dê aos membros da audiência o conteúdo que eles querem e precisam – quando e onde eles estão procurando. E faça sobre eles, não você.


Se você quer construir confiança com seu público, dê a eles algo valioso, diz @LisaBeets.
Clique para Tweet


CONTEÚDO RELACIONADO ADAPTADO: Roteiro para o Sucesso: Criando o Conteúdo dos Sonhos de Sua Audiência

Menos da metade dos profissionais de marketing de conteúdo conversam com os clientes

Cerca de três entre quatro profissionais de marketing de conteúdo B2B buscam feedback de vendas e usam análises de website para pesquisar seu público, enquanto 65% usam pesquisa de palavras-chave.

É uma surpresa agradável, considerando a frequência com que ouvimos que as equipes de marketing e vendas precisam se comunicar melhor.

Mas relativamente poucos profissionais de marketing de conteúdo B2B pesquisam seu público conversando com seus clientes. Apenas 42% dizem ter conversas com clientes como parte de sua pesquisa de público.

A pesquisa deste ano também descobriu que 73% dos pesquisados ​​usam ou planejam usar personas para fins de marketing de conteúdo até o final de 2018.


73% dos profissionais de marketing de conteúdo # B2B planejam usar personas para fins de #contentmarketing até o final de 2018. @centicontent
Clique para Tweet


Como você pode usar essa percepção

Personas eficazes são baseadas em pesquisas sobre pessoas reais. “Nada supera a capacidade de obter informações diretamente dos clientes atuais”, escreveu Jodi Harris no Guia Rápido e Sujo para a Criação de Personas de Marketing de Conteúdo Acionável. Isso acontece porque os clientes podem informar diretamente sobre suas necessidades e preferências. Você não precisa deduzi-los de análises ou compilá-los de conversas de terceiros.


Nada supera a capacidade de obter informações diretamente dos clientes atuais, diz @joderama.
Clique para Tweet


Se sua equipe não estiver falando com os clientes, procure maneiras de fazer isso acontecer. Alguns profissionais de marketing de conteúdo acompanham os representantes de vendas em suas chamadas. Alguns organizam chamadas telefônicas com prospects e clientes diretamente. Aproveite os eventos em pessoa que seus membros da audiência assistem para conversar com eles.

CONTEÚDO RELACIONADO ADAPTADO: Marketing de Conteúdo e Alinhamento de Vendas: Preenchendo a Lacuna [New Research]

Campanhas de e-mail e reinado de conteúdo educacional

Cinquenta e oito por cento dos entrevistados disseram que usaram o marketing de conteúdo com sucesso para alimentar assinantes, público-alvo ou leads nos últimos 12 meses. Os dois principais métodos são email (87%) e conteúdo educacional (77%).


E-mail e conteúdo educacional são as duas principais formas de o marketing de conteúdo B2B nutrir seu público via @cmicontent.
Clique para Tweet


Apenas 23% dos entrevistados indicam que sua organização está trabalhando para criar comunidade entre seu público ou convidando o público a participar das discussões.

Como você pode usar essa percepção

Campanhas de e-mail e conteúdo educacional bem feito são formas confiáveis ​​de cultivar relacionamentos. Preste atenção às mudanças nas preferências do seu público, no entanto, para identificar novas oportunidades. Dada a feroz concorrência nas caixas de entrada nos dias de hoje, você pode considerar a experimentação com outros canais, como a mistura de e-mail e mensagens SMS, como Ardath Albee descreveu em uma palestra no início deste ano.

Os gastos em criação de conteúdo aumentaram

Criação de conteúdo é onde os entrevistados foram mais propensos a relatar um aumento nos gastos nos últimos 12 meses (56%). Os gastos crescentes com a equipe de marketing de conteúdo chegaram em um segundo distante (37%), seguido de perto pela distribuição de conteúdo pago (36%).

CONTEÚDO RELACIONADO ADAPTADO: Aumento no seu orçamento de marketing de conteúdo? 61 + novas idéias de especialistas

Vídeo sobe, conteúdo baseado em texto mantém o ritmo

Organizamos tipos de conteúdo em seis "baldes" para examinar tendências de uso mais amplas. Conforme mostrado no gráfico, mais de 50% dos entrevistados aumentaram seu uso em comparação com um ano atrás em três grupos de conteúdo:

  • Áudio / visual (por exemplo, vídeos e webinars)
  • Digital com base em texto (por exemplo, artigos e livros eletrônicos)
  • Imagens (por exemplo, infográficos, gráficos e fotos)

Como você pode usar essa percepção

Os tipos de conteúdo que geram os melhores resultados para sua organização dependem de muitos fatores: a natureza de sua empresa, a demografia e as preferências de seu público, suas metas etc. Não presuma, por exemplo, que os tipos de conteúdo sejam com menos um aumento de 50% não será valioso para sua organização. A experimentação desempenha um grande papel em qualquer iniciativa de marketing de conteúdo. Por exemplo, um podcast ou uma revista impressa podem ser uma ótima oportunidade para a sua organização, dependendo do seu público e recursos.

Algoritmos de SEO / pesquisa são top of mind

Quando perguntados sobre questões de marketing de conteúdo com as quais suas organizações se preocupam, as três principais respostas foram mudanças em algoritmos de SEO / pesquisa (61%), mudanças em algoritmos de mídia social (45%) e marketing de conteúdo como um centro de receita (41%).


# Algoritmos de SEO / pesquisa são uma das principais preocupações de 61% dos profissionais de marketing B2B por meio do @CMIContent 2019 #research.
Clique para Tweet


Relativamente poucos citam tecnologias emergentes como a inteligência artificial (14%) e a preparação de conteúdo para busca por voz (13%) como uma preocupação, embora esses tópicos captem muita agitação nas conversas de marketing.

Como você pode usar essa percepção

Acompanhar a mudança de algoritmos sociais e de pesquisa pode parecer uma batalha sem fim. Mas recursos que podem ajudar existem. No início deste ano, os palestrantes do Content Marketing World compartilharam seus conselhos sobre como lidar com as mudanças no algoritmo social. Para obter uma lista de recursos de SEO (incluindo especialistas, artigos, blogs e ferramentas), dê uma olhada na recapitulação deste bate-papo no #CMWorld Twitter com o especialista em SEO Stephan Spencer.

A história não termina aqui

A pesquisa deste ano revelou muitos outros novos insights, como:

  • Os principais comerciantes de benefícios dizem que derivam de sua estratégia de marketing de conteúdo documentada
  • Como os profissionais de marketing avaliam o nível de proficiência de sua organização com o uso de tecnologias de marketing de conteúdo – e os benefícios que obtêm ao usar essas tecnologias
  • Os tipos de métodos pagos que eles usam para distribuir conteúdo – e por que
  • Objetivos alcançados nos últimos 12 meses

Veja o relatório hoje para ver todas as descobertas e veja este blog para uma análise mais detalhada dos resultados.

Benchmarks, orçamentos e tendências de marketing de conteúdo B2B – América do Norte de Instituto de Marketing de Conteúdo

Obrigado a todos os entrevistados da nossa pesquisa, parceiros de distribuição, patrocinador do Conductor e todos que ajudam a disseminar essas descobertas em todo o setor de marketing de conteúdo. Nós não poderíamos produzir essa pesquisa sem você. Um agradecimento especial a Nancy Reese, consultora de pesquisa do CMI, por suas contribuições e dedicação a este projeto.

Assista ao nosso blog para mais pesquisas nos próximos meses. Para garantir que você receba pesquisas quando for lançado, inscreva-se em nosso boletim informativo gratuito durante a semana.

Imagem da capa e design do relatório de Joseph Kalinowski / Content Marketing Institute

O post 2019 B2B Content Marketing Research: Vale a pena colocar o público Primeiro apareceu em primeiro lugar no Content Marketing Institute.




Publicações imperdíveis:

Site de nicho com produtos de alto preço – receitas, experiências e dicas

Como criar um blog | Por Mundo virtual

Veja como os custos do viajante de passageiros se acumulam nos 10 melhores sistemas de trânsito da Redfin

2 Templates Gratuitos para Gravar Seu Diário Lucros

Será que as empresas de tecnologia já adotaram a ética com seriedade?

DSLR via Wi-Fi para conectar para o Smartphone

#PreguntaFreelance: quais cursos sobre desenvolvimento web, design, software e software para freelancers você recomenda?

Técnicas de Maquiagem para Festas

Problemas no Casamento